Primeiras impressões

Internet móvel: tarifários ilimitados mais baratos não aceleram

08 junho 2011 Arquivado

08 junho 2011 Arquivado

A Vodafone foi a primeira a baixar os preços e outras operadoras seguem o exemplo. Mas a velocidade continua a descer drasticamente depois de ultrapassar o tráfego contratado de 1, 2 ou 4 GB. 

Um ano após o lançamento dos tarifários móveis com mensalidade fixa nas 3 operadoras principais, a Vodafone reduziu os preços dos tarifários mais baratos. O plano Best Net Base custa agora € 17,49, e não € 20,49, e o Best Net Light passou de € 15,48 para € 12,49, por mês. Na TMN, os tarifários correspondentes custam o mesmo e a Optimus deve seguir a tendência em breve.

Em navegação, estes tarifários têm muito pouco de ilimitados. A partir de 1 GB de tráfego, a velocidade reduz de 1 Megabit por segundo (Mbps) para 128 Kilobits por segundo (Kbps). O mesmo acontece nos serviços de 2 e 4 GB de tráfego. Aquela velocidade é suficiente para ver algumas páginas online e consultar o e-mail. Já descarregar ficheiros ou assistir a vídeos no YouTube, por exemplo, é um teste à paciência.

Há ainda planos que anunciam navegação a 7,2 Mbps, 21,6 Mbps e 43,2 Mbps. Contudo, as medições do nosso teste mais recente comprovam que é difícil ultrapassar velocidades de download superiores a 7,2 Mbps. A banda larga móvel mais rápida continua reservada a algumas zonas das grandes cidades. Mas os serviços são anunciados sem qualquer ressalva sobre as limitações de cobertura ou desempenho.

Mesmo entre os tarifários a 4 Mbps e a 7,2 Mbps, o acréscimo de velocidade é mínimo. A velocidade de 4 Mbps é mais indicada, se gasta até 8 GB de tráfego. A partir daqui, um tarifário de 7,2 Mbps é a melhor opção, pois os de 21,6 Mbps são mais caros e superam-nos por pouco na velocidade de download, muito longe da anunciada. Antes de escolher um tarifário, consulte o simulador para saber qual o mais económico e adaptado ao seu perfil.