Notícias

Roaming: pacotes da TMN e da Vodafone só compensam para poucos

08 agosto 2012 Arquivado

08 agosto 2012 Arquivado

Os novos serviços apenas reduzem os custos do uso telemóvel no estrangeiro em condições muito específicas. Consumidores exigem menos notas de rodapé e informação mais clara sobre as opções tarifárias em roaming.

Semana de contas na Grécia

Consideramos que, numa estadia de 7 dias na Grécia, faz e recebe uma chamada por dia de 5 minutos para Portugal e envia 5 SMS por dia.

Se é cliente da Vodafone, com a eurotarifa de roaming, a fatura das comunicações nessas férias ficaria em 19,82 euros. Caso usasse o novo Vodafone Easy Roaming, com o custo diário de € 2,99, em conjunto com o tarifário Vita zero, por exemplo, gastaria no total € 30,17, ou seja, mais € 10,35 face à eurotarifa. A diferença é menor com outros tarifários da Vodafone, como o Yorn Power Extravaganza e o Vita Best Plus Total (no mínimo, paga 27,79 euros).

A nova opção da Vodafone só compensa face à tarifa normal de roaming se fizer o equivalente a chamadas de mais de 13 minutos e meio por dia para a mesma operadora ou 23 minutos e meio em chamadas para outras redes. Se for possível utilizar mensagens e minutos para chamadas incluídos no tarifário nacional, a partir dos 9 minutos de conversa, já gastará menos do que com a eurotarifa.

A alternativa mais barata do novo tarifário da TMN, o Classe Económica Soft, permite poupar alguns euros, em comparação com o serviço de roaming, para o mesmo cenário de férias: os € 12,50 chegam e sobram para as 7 chamadas de 5 minutos. Com os € 3,89 gastos em SMS, a despesa fica nos 16,39 euros. Mesmo que se ultrapasse o valor do pacote (por exemplo, se receber uma chamada diária de cerca de 5 minutos), a soma total ainda é inferior ao tarifário tradicional de roaming.

A vantagem do tarifário da TMN face ao da Vodafone está na possibilidade de ser utilizado em vários países e em algumas zonas de exceção, onde os preços dos tarifários-base chegam aos € 5,15 por minuto. Contudo, só há descontos nos preços das chamadas (as SMS são taxadas de acordo com a eurotarifa). Este tarifário obriga a prever bem o consumo durante a estadia fora do país para escolher a modalidade adequada e não pagar mais pelas comunicações fora do pacote. Se optar por um valor acima do que gastar, perde o que não for utilizado. No cenário acima, não valia a pena escolher o Classe Económica Regular, por € 25, pois não gastou esse valor em chamadas.