Dicas

Lojas on-line: música variada a bom preço

29 março 2010

29 março 2010

Muitas já não impõem limites à cópia, mas a navegação nem sempre é intuitiva e alguns sítios não permitem recuperar faixas pagas. Vantagem: pode comprar canções individuais.

Muitas lojas on-line impunham mecanismos para limitar as cópias que, legalmente, o consumidor pode fazer para uso privado. Ao comprar música, já paga uma percentagem adicional para ter esse direito. Também suporta uma taxa na aquisição de CD e DVD virgens e aparelhagens com gravador. A Internet é, cada vez mais, uma opção para os amantes da música, com preços acessíveis e poucas restrições à cópia. Mas ainda há sítios pouco intuitivos e, em caso de avaria do computador com perda de dados, nem sempre permitem recuperar música paga.

Já nos sítios de streaming, pode ouvir música sem gravar no computador. A lógica é idêntica à da rádio: as notas evaporam-se após serem escutadas. Contudo, não permitem ouvir música longe do computador e exigem ligação à Net. A oferta de estilos e títulos é variada.

Bom som na caixa

  • Os formatos de música usados pelas lojas são o MP3, o AAC e o WMA. O primeiro é o mais frequente. Todos recorrem a um esquema de compressão baseado na perda de dados, ou seja, as informações armazenadas não são iguais às do original. O método de compressão retira do áudio aquilo que o ouvido não consegue captar, como frequências muito baixas ou altas. Mas não detectámos diferenças perceptíveis na qualidade da música.
  • Certas lojas exigem a instalação de software para comprar e descarregar músicas. Parece uma desvantagem, mas a utilização pode ficar mais prática. Estes programas funcionam ainda como leitores multimédia.
  • Outras lojas sugerem a instalação de um gestor de downloads. Para descarregar muitas faixas musicais, é conveniente optar por esta solução.
  • Por vezes, os resultados não surgem divididos por autor, mas por ordem alfabética, o que torna a pesquisa lenta.
  • Ferramentas como o autocomplete e a correcção automática estão cada vez mais vulgarizadas. Não tem de saber o nome completo do artista ou da música. Basta digitar algumas letras para surgirem propostas de resultados.

Interrupções na linha

  • Nem sempre as lojas permitem recuperar faixas perdidas devido a uma avaria no computador. Já se a falha ocorrer durante o download, é possível reaver a música pretendida.
  • O preço por canção ronda € 1 em todas as lojas. Se desejar várias músicas de um álbum, pode ser mais interessante comprá-lo inteiro.
  • Por faixa, pacote de crédito, cartões recarregáveis, entre outros, existem muitas formas de pagar. A maioria das lojas aceita cartão de crédito. Algumas associadas a operadores de telemóvel impõem o crédito do cartão do telefone. Outras permitem o PayPal. Os sítios analisados recorrem a entidades especializadas em pagamentos on-line, que garantem a segurança da informação. Para verificar se está numa ligação segura, veja se, na caixa de endereço,o URL é precedido por https://. Procure ainda um cadeado na mesma barra.

Passe a sua música para outros formatos

  • Os leitores de MP3 tocam música neste formato, que corresponde à norma de compressão mais comum. A maioria reproduz também outros formatos. Com a excepção dos iPod, todos lêem o WMA não protegido.
  • Os leitores da Apple e alguns da Samsung e Sony fazem a leitura do AAC, disponibilizado pela loja iTunes. Para converter estes ficheiros em MP3, no momento do download, seleccione as faixas a transferir, carregue no botão direito do rato e clique em “criar versão MP3”.
  • Para converter música a partir de um CD, basta introduzi-lo no computador e, no Windows Media Player, Winamp, iTunes ou outro, clicar na função “ripar música”.

Suspeitas que vêm do frio

  • As lojas que operam a partir da Rússia e da Ucrânia dizem pagar direitos de autor, mas não são reconhecidas pelas entidades internacionais que defendem a propriedade intelectual. No entanto, como não há forma de comprovar a sua legalidade, o consumidor não pode ser responsabilizado por utilizá-las.
  • Os catálogos são vastos, mas pobres em artistas portugueses. No geral, os sites são bem estruturados e rápidos no download. Por vezes, basta aceder ao histórico de compras e seleccionar os ficheiros para recuperar música comprada.
  • Estas lojas chegam a cobrar 3 cêntimos por faixa e menos de 1 euro por álbum. Ao contrário dos outros serviços que permitem pagar na altura em que se compram as faixas, exigem o depósito de um mínimo de 20 dólares. Se encerrarem, dificilmente recupera o dinheiro.