Notícias

Detergentes da loiça não podem ter fosfatos

21 abril 2017
Detergentes sem fosfatos

21 abril 2017

Quando lançados no mar e em rios, os fosfatos facilitam a reprodução de algas, que prejudicam o meio aquático. Essas substâncias já não podem ser usadas nos detergentes para a loiça.

A qualidade da vida aquática pode melhorar com a redução das descargas de fosfatos nas águas residuais. Quando são lançados no mar e em rios, os fosfatos facilitam a reprodução de algas, que impedem os peixes e outras espécies de receber oxigénio e reduzem a penetração da luz solar na água, essencial para a fotossíntese das plantas aquáticas. Para evitar esta situação, as marcas de detergentes que usam este ingrediente tiveram de substituí-lo por substâncias que não agridem o ambiente, como as zeolites (substâncias químicas que também servem para diminuir a dureza da água).

A Comissão Europeia tardou em avançar com a intenção de banir ou limitar os fosfatos e compostos de fósforo nos detergentes. Só o fez depois de vários países europeus criarem legislação nacional, limitando o seu uso nos produtos para a roupa.

Para os detergentes para máquina de lavar loiça, o teor de fosfatos tem de ser inferior a 0,3 g por lavagem. Muitos que se encontravam nas prateleiras deixaram de ser comercializados com a mesma composição a 1 de janeiro de 2017.

Desde 1 de julho de 2013, os detergentes para roupa destinados aos consumidores não podem apresentar um teor de fosfatos ou outros compostos de fósforo igual ou superior a 0,5 g por lavagem de uma carga de roupa de sujidade normal e água de dureza elevada.

A DECO PROTESTE também não cruzou os braços e decidiu não incluir no seu teste a detergentes para a roupa qualquer fórmula contendo fosfatos. Tomámos esta decisão em 2004 e o tempo deu-nos razão, pois a sua presença no mercado decresceu progressivamente.


Imprimir Enviar por e-mail