Notícias

Sistemas solares térmicos: há empresas que não apresentam a melhor solução

Diagnóstico deve ser preciso

Para conhecer melhor a situação e apresentar uma proposta adequada, os profissionais teriam de colocar algumas questões. As mais relevantes prendem-se com as especificidades da habitação (características de construção do telhado ou existência de condições para instalar o reservatório de água dentro de casa), o sistema existente para aquecimento de água e o número de pessoas a residir na casa.

No nosso cenário, o sistema iria servir uma família de quatro pessoas e a casa, sem pré-instalação, tinha um esquentador recente a gás natural, termostático e compatível com sistema solar. Outros aspetos, como a orientação solar do telhado e o estado do esquentador, embora importantes, poderiam ser confirmados numa visita posterior. Já as questões relativas às preferências do consumidor ou ao preço que estaria disposto a pagar, embora determinantes, não impedem o vendedor de apresentar as melhores soluções.

Nem todos os profissionais procuraram obter os dados necessários para delinear o sistema mais adequado. A grande maioria teve a preocupação de saber quantas pessoas viviam na casa: um dado essencial para estimar o consumo de água quente. Averiguar se havia espaço e altura no sótão para instalar um reservatório vertical foi um aspeto ignorado por sete vendedores. Houve ainda nove profissionais que nada perguntaram sobre o equipamento existente na casa para aquecer a água. No total, 11 empresas falharam no diagnóstico, o que pode estar na origem de algumas propostas menos adequadas.

FIZERAM UM DIAGNÓSTICO INSUFICIENTE
ARCITELAC
Fânzeres, Gondomar
ASH
Charneca de Caparica, Almada
ELECTROALBI
Castelo Branco
ENAT
Viseu
GALP COMFORT
GROUND WATER
Rio de Mouro, Sintra
LEROY MERLIN
Lamaçães, Braga
LUZ LIDER
Maia
SOLAR PROJECT
Ramada, Odivelas
SOTECNISOL
Antanhol, Coimbra
SUNENERGY
Pedrulha, Coimbra