Notícias

Mudança nos preços da eletricidade pesa na fatura?

Se recebeu uma carta da empresa de energia a avisar de que vai atualizar os preços em 2020, saiba qual o impacto no que vai pagar e confirme se vale a pena mudar de fornecedor.

  • Dossiê técnico
  • Pedro Silva
  • Texto
  • Myriam Gaspar e Filipa Nunes
29 janeiro 2020
  • Dossiê técnico
  • Pedro Silva
  • Texto
  • Myriam Gaspar e Filipa Nunes
dinheiro perto de uma tomada

iStock

O nosso associado A. N., de Odivelas (Lisboa) recebeu uma carta da EDP a avisá-lo de que iria atualizar os preços da eletricidade, no início do ano. O primeiro pensamento que lhe ocorreu foi que iria pagar mais. Em média, gastava por mês cerca de 50 euros. Decidiu, por isso, perguntar-nos sobre o que deveria fazer. Mudar de empresa fazia sentido?

Recebeu um aviso semelhante do seu fornecedor de energia com as novas tarifas? A alteração resulta de uma cláusula do contrato, que prevê a atualização anual de tarifas. No caso do nosso associado, o impacto na fatura é quase nulo. Mas é possível diminuir o montante que gasta todos os meses. Neste caso, pode poupar 4 euros por mês ao mudar de operador e tarifa, mantendo as condições que para A. N. são importantes, ou seja, não aderir à fatura eletrónica, nem ao débito direto.

A inércia sai cara. Pelo menos duas vezes por ano, verifique se está no tarifário adequado. O mercado foi liberalizado precisamente para permitir aos consumidores mudarem para o fornecedor que oferece preços mais favoráveis.

Mas, antes de ir a correr para um balcão de outra empresa, iniciar a visita aos sites dos operadores ou atender aquele telefonema com uma proposta irresistível, descubra qual o tarifário mais adequado para si. Basta seguir alguns passos, para obter a resposta.

Simule o melhor tarifário de energia

É frequente os fornecedores de energia acenarem com descontos atrativos e percentagens ainda mais fenomenais, mas depois tentam vender-lhe outros serviços, encarecendo a fatura. Esteja atento, reflita se realmente necessita de serviços adicionais e não se deixe levar no engodo dos descontos. Estes incidem sobre os tarifários base do operador, que diferem consoante a empresa, e nem sempre se aplicam à totalidade da fatura ou à totalidade da duração do contrato. No final, 50% de desconto podem sair bem mais caros que 5 por cento.

A nossa Escolha Acertada tem em conta não apenas o preço, mas também o grau de satisfação dos consumidores com os fornecedores, baseado nos nossos questionários anuais.

Como encontrar o tarifário mais baixo

  • Pegue em duas faturas com um ano de diferença. Por exemplo, a de dezembro de 2018 e a de 2019. Certifique-se de que têm consumos reais e não estimativas.
  • Indique a potência contratada que consta da fatura.
  • Calcule o consumo anual, subtraindo as leituras do contador, que constam nas duas faturas (leitura de dezembro de 2019 – leitura de dezembro de 2018). Este cálculo revela as suas necessidades de energia. Reflita se não houve alterações aos hábitos de consumo ou se prevê que o seu perfil de consumo se vá alterar, por exemplo com o nascimento de um filho. Deve ajustar o cálculo anterior a estas alterações.
  • Com estes dados, visite o nosso simulador, compare as várias ofertas e veja qual a melhor solução para si. Confronte os tarifários com os do fornecedor atual e decida. A mudança é gratuita e demora até três semanas. O novo comercializador trata de tudo.

Como baixar a fatura da eletricidade

Comparar tarifários é útil, mas temos outras dicas para reduzir a fatura de eletricidade no final do mês. Pense na forma como consome energia em casa. Por exemplo, tem muitos aparelhos em standby? As suas máquinas de lavar têm a função de arranque programado? As lâmpadas incandescentes ainda dominam no seu lar?

Da fatura da eletricidade consta o consumo nas horas cheias e de vazio (horas de maior e menor consumo). Analise os gastos nestes períodos e veja se compensa optar pela tarifa simples ou bi-horária. Esta última pode ser uma boa opção se 40% do consumo ocorrer nas horas de vazio. Só precisa de mudar pequenos hábitos, como efetuar os consumos maiores (engomar e lavar a roupa, por exemplo) nessa altura.

Tem a potência contratada correta?

Aconselhamos também a analisar a potência contratada. Se o disjuntor geral do quadro elétrico não dispara quando usa vários eletrodomésticos ao mesmo tempo, equacione baixar a potência. Esta operação não tem custos e reduz a fatura em cerca de 2 euros por mês, por cada nível de potência reduzido. Caso surjam “apagões” após a redução da potência, pode voltar a aumentá-la (também não tem custos) ou evitar ligar aparelhos mais vorazes em simultâneo, como a máquina da roupa e a da loiça.

Trocar a iluminação por lâmpadas LED permite reduzir a sua fatura a prazo. Desligar os aparelhos eletrónicos que não está a usar, em vez de os deixar em standby, é também uma forma de poupança imediata.

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.