Notícias

Leilão de eletricidade: DECO cumpre e faz balanço

30 setembro 2013 Arquivado

30 setembro 2013 Arquivado

Pelo menos 220 mil consumidores domésticos beneficiaram do leilão de eletricidade realizado pela DECO entre maio e julho de 2013, com uma poupança anual de cerca de 4 milhões de euros. Estes números têm em conta os consumidores que aderiram à tarifa vencedora do leilão e os que beneficiaram dos descontos oferecidos pelas outras operadoras em consequência desta ação da associação de consumidores.

De agosto a dezembro, tendo em conta o ritmo atual (cerca de 70 mil consumidores por mês) de adesões ao mercado liberalizado, a poupança gerada, tanto direta como indiretamente, deverá superar os 3,8 milhões, o que resultará numa poupança global para os consumidores de 7,8 milhões de euros em 2013, num universo que atinge 570 mil lares.

Cumprindo a promessa feita no seu lançamento, a DECO apresenta os resultados desta iniciativa pioneira em Portugal, que teve como objetivo mexer com o mercado e proporcionar tarifas e condições contratuais mais vantajosas para os consumidores. No que toca exclusivamente a tarifas, esgotadas as campanhas de descontos com as quais as operadoras pretenderam desvalorizar o leilão da DECO, a situação do mercado é hoje menos favorável em termos de poupança, embora ainda seja mais favorável do que antes do leilão.

Ficou assim provado que, retomando o lema do leilão, “juntos pagamos menos”, a pressão dos consumidores pode alterar as condições do mercado, e a DECO está a estudar novas ações para mexer de novo no setor da eletricidade, incluindo novos leilões.

No total, 587.080 consumidores registaram-se no leilão, tendo 34.073 contratado até hoje o tarifário vencedor. Ainda estão a ser reprocessadas 7.716 adesões, devido a dados incorretos ou incoerências, pelo que no final do mês o número de contratos celebrados poderá rondar os 40.000.

Como foi anunciado no início da ação, a cada contrato celebrado no âmbito do leilão corresponde uma comissão de 5 euros paga pelo operador vencedor. Os associados da DECO recebem esse valor na sua fatura, e para a associação reverte a comissão referente a não associados. Dos 34.073 contratos, 44% correspondem a não associados, pelo que a DECO irá receber, de acordo com os dados de hoje, 74,960 euros. Se atingir os já referidos 40 mil contratos até final do mês, esse valor aumentará para 88,000 mil euros.

Esta verba permite financiar cerca de metade dos custos de comunicação desta ação, orçados em 148 mil euros, sendo o restante suportado pela associação, nomeadamente através de afetação de meios humanos ao projeto. Trata-se de um investimento amplamente compensado, no entender da associação de consumidores, pelo facto de cerca de 570 mil lares verem a sua fatura de eletricidade baixar em 2013, como consequência direta ou indireta do leilão da DECO.


Imprimir Enviar por e-mail