Notícias

DECO repõe verdade sobre leilão de eletricidade

03 maio 2013 Arquivado

03 maio 2013 Arquivado

A difusão persistente de informações totalmente falsas sobre o leilão de eletricidade promovido pela DECO leva a associação de defesa do consumidor a prestar esclarecimentos.

  • Os números vindos a público sobre a comissão a cobrar pela DECO à operadora vencedora do leilão, por cada contrato concretizado, são infundados, especulativos e assentam numa aritmética sem qualquer sustentação na realidade. Na verdade, o valor a receber por cada contrato nunca ultrapassará os 5 euros.
  • Em nenhuma circunstância esta comissão constituirá qualquer espécie de benefício ou de financiamento para a DECO, servindo apenas para responder aos custos que acarreta uma operação desta natureza e dimensão, a que aderiram 587.080 consumidores.
  • Este nível de adesão, com pleno conhecimento da existência de uma comissão de angariação, só sublinha que a mesma é considerada pelos consumidores como um contributo correto para os benefícios que retirarão de uma tarifa mais económica num serviço tão essencial como a eletricidade. Sem ela, o orçamento ordinário da DECO, custeado pelos seus associados, não chegaria para cobrir os custos.
  • Aos associados da DECO, cujo contributo permite, já de si, à associação de defesa do consumidor, ações como esta, de que todos beneficiam, será devolvida a verba da comissão correspondente à sua adesão ao novo contrato. Essa devolução será feita, em fatura, pela própria operadora vencedora do leilão.
  • A existência da comissão, a que alguma informação dá foros de revelação de última hora, foi divulgada publicamente pela DECO desde o início da operação. Os consumidores foram informados no próprio site do leilão, os jornalistas por e-mail e as operadoras de energia nas reuniões com a associação.
  • Para os associados da DECO, a informação sobre a comissão foi, ainda, divulgada num texto sobre o leilão de eletricidade publicado na edição de março da revista Proteste.
  • Tal como foi também previsto desde o início e divulgado pelos mesmos meios, a DECO apresentará no final da operação as contas relativas ao leilão de eletricidade. 
  • Apesar da transparência com que toda esta operação foi e continuará a ser conduzida pela DECO, a associação de defesa do consumidor não estranha o surgimento de informação enganosa sobre a mesma. É sinal de que perturbou os interesses instalados no setor da energia, para quem o consumidor só existe para pagar, sem nunca beneficiar. Por isso mesmo, o leilão “Juntos pagamos menos” ficará na história da defesa do consumidor e da intervenção no mercado, sendo já hoje um caso de estudo na Europa.

Imprimir Enviar por e-mail