Dossiês

Lâmpadas economizadoras: como escolher e usar

22 julho 2020
mão agarra lâmpada em frente a um candeeiro de mesa

As lâmpadas economizadoras ajudam a iluminar a casa de modo mais eficiente. Revelamos a lâmpada certa para cada divisão e descomplicamos o rótulo.

Lâmpada certa por divisão

O tipo e o número certo de lâmpadas aumenta o bem-estar e reduz os custos. Analise a utilização que faz de cada espaço para escolher a iluminação mais eficiente.

Para ter ideia da equivalência numa lâmpada incandescente em Watts (W), divida o número de lúmens por 10: a um fluxo luminoso de 600 lúmens corresponde uma incandescente com 60 Watts.

Para escadas, casas de banho e zonas de passagem, opte por uma lâmpada que acenda rapidamente e possa ser ligada e desligada com frequência. Com menor uso, outros espaços, como as zonas de passagem, exigem menos fluxo. Para a garagem ou cave, escolha as adequadas a ambientes frios ou para exterior. Se a lâmpada estiver num local de difícil acesso, prefira uma de longa duração. Se usar lâmpadas fluorescentes compactas, prefira as de invólucro duplo em escritórios, quartos de crianças e cozinhas.

A cor da luz é decisiva no conforto. Uma luz amarelada, como a do nascer ou pôr-do-sol, transmite tranquilidade, é mais quente e acolhedora. Já uma luz branca ou azul transmite frieza, ideal para atividades que exigem concentração e dinâmica. Preste atenção às características de cada tecnologia. Algumas lâmpadas economizadoras, como as fluorescentes compactas, revelam nos testes atrasos no arranque, pelo que são desaconselhadas em escadas, ou falta de resistência ao ligar e desligar frequente. Mostram-se ainda pouco práticas na casa de banho.

Sala de estar e jantar

Crie pontos de luz para diferentes necessidades. Candeeiros de teto ou parede devem fornecer luz ambiente. Opte por lâmpadas LED entre 12 e 15 W para o teto, que fornecem entre 1000 e 1200 lúmens, ou 2 a 3 lâmpadas de parede com 650 lúmens (LED de 11 W). Os candeeiros devem ser translúcidos com luz difusa.

Um candeeiro pendente com vários pontos de luz, ao longo da mesa, permite iluminar a refeição. Não precisa de muita intensidade, se o colocar a 60 e 80 cm do tampo: 500 lúmens por lâmpada são suficientes (LED de 6 a 8 W ou menor, se forem 4 focos).

Um candeeiro de pé ou de mesa, a 80 cm da zona de trabalho, com 500 lúmens, é ideal para ler, pintar ou costurar. Use uma lâmpada LED (6 a 8 W) de ângulo mais aberto.

Caso queira fazer trabalhos de desenho, procure um candeeiro com lâmpadas de halogéneo de casquilho G9 ou G4, com 35 W, por exemplo.  

Cozinha

Se existir um local para refeições, deve ter uma luz específica. Uma LED, não refletora, com 650 a 850 lúmens (8 a 10 W) é uma boa escolha. A luz de teto deve ser suficiente para conseguir limpar a cozinha. Fluorescentes tubulares são muito eficientes, com um fluxo elevado e difuso (acima dos 3000 lúmens, que consegue com duas lâmpadas de 24 W ou uma de 39 Watts).

Um único candeeiro de teto é desadequado: ao trabalhar na bancada, lava-loiças ou fogão, o corpo provoca sombra. Estas áreas devem ter luzes focalizadas. As lâmpadas de halogéneo (20 a 28 W de potência) ou LED (6 W cada), por baixo dos armários, são eficazes.

Quarto

É prático ter um ponto de luz no roupeiro, por exemplo, com pequenas LED (3 a 4 Watts). No teto, uma lâmpada de 850 lúmens é suficiente. Uma LED de 10 W é o ideal. Se instalar um regulador de intensidade, pode adequar aos diferentes usos, mas certifique-se de que é compatível com a lâmpada. É útil um interruptor para a luz de teto junto à cabeceira da cama.

Se utiliza as luzes de cabeceira para ler, uma lâmpada LED (cerca de 6 W) é a melhor opção.

Casa de banho

É importante saber se há sujidade ou água no chão e garantir que se barbeia ou maquilha com o máximo de luz. Precisa de lâmpadas de um lado e do outro do espelho para os detalhes do rosto. Evite por cima do espelho: provoca sombras na parte inferior da cara e encandeia. Prefira lâmpadas LED (6 W), com boa restituição de cor.

Com arranque rápido, a lâmpada do teto tem de difundir bastante luz (LED de 10 Watts). Se só tiver um ponto de iluminação, escolha um candeeiro com vários focos.

Descubra as diferenças antes de visitar a loja

  • Lâmpada fluorescente compacta: consome pouca energia e pode durar até 10 anos. É lenta a arrancar. Algumas lâmpadas podem demorar um minuto até terem metade do fluxo luminoso total. Não reproduz bem as cores. O preço ronda os 3 euros.
  • Lâmpada LED: tempo de vida longo, muitas vezes superior a 15 anos, desperdiça menos calor e é a mais eficiente. A tecnologia está em desenvolvimento, mas já é a opção mais económica. O preço médio é de € 6, mas encontra a partir de 3 euros.
  • Lâmpada de halogéneo: parecida com a incandescente, produz luz mais brilhante, tem um tempo de vida útil longo e é um pouco mais eficiente. Garante melhor qualidade de luz. Desde 1 de Setembro de 2018 só está disponível em formatos específicos (G9, G4, R7S) e o preço ronda os 2 euros.

Aproveite a luz natural

Para tirar o maior partido da luz natural ou artificial, as paredes devem ter cores claras, que refletem melhor a luz. Procure equipar a casa com cortinados translúcidos e não opacos para permitir a entrada de luz natural durante o dia.

A luz solar é a mais eficaz. Permite uma restituição perfeita de cores, bem como variações de coloração, intensidade e distribuição de luminosidade. É gratuita, inesgotável, não poluente e tem benefícios para a saúde. Com a iluminação adequada, produz mais, aumenta os níveis de atenção, melhora o sono e potencia o bem-estar.