Notícias

Formigas, baratas e ratos: como evitar infestações no condomínio

Os prédios são alvos apetecíveis para pragas de animais e insetos indesejados. O que começa num apartamento ou zona comum depressa se espalha ao condomínio. Saiba como evitar o problema.

01 setembro 2017
pragas e infestações em condomínios

Thinkstock

Ratos, baratas e formigas são as pragas mais comuns nos prédios mas, quando menos se espera, podem surgir outros insetos e animais indesejados. Se for desvalorizado, o problema pode trazer prejuízos para a estrutura do edifício. A saúde dos moradores também pode ser afetada, com doenças de pele e respiratórias ou inflamações. Também não são de descartar problemas nos animais de estimação. A sarna é apenas um exemplo do quão prejudicial pode ser uma praga.

Regra geral, as pragas são sazonais. No inverno são menos frequentes, pois os animais recolhem-se devido ao frio. No verão saem para procurar comida e reproduzirem-se.

A prevenção é essencial. Além das áreas comuns do condomínio, que são da responsabilidade da administração, cada morador deve fazer a sua parte dentro de casa. É difícil provar que uma infestação vem de determinado local, pois estes animais e insetos movimentam-se com muita facilidade e andam pelos esgotos. Mas se o condomínio conseguir provar a origem da praga, pode pedir ao responsável que pague os custos da desinfestação.

Como evitar infestações

  • Os espaços comuns do prédio devem ser higienizados com regularidade. O administrador deve garantir que essa limpeza é feita. 
  • É importante vedar frestas de portas e janelas do condomínio e de cada casa, para evitar a entrada dos animais.
  • Não se pode acumular entulhos nos espaços comuns do prédio.
  • Deve-se colocar o lixo no local apropriado e nunca em contacto com o chão.

Se for preciso fazer uma desinfestação, peça vários orçamentos a empresas especializadas. Quando a intervenção for marcada, a administração do condomínio tem de avisar todos os condóminos com antecedência e deixar orientações sobre como devem proceder.

Conheça todos os cuidados para que o problema não se alastre. Basta consultar o Condomínio DECO+.


Imprimir Enviar por e-mail