Alertas

Termoventiladores: há modelos perigosos à venda

Há aparelhos perigosos à venda nas lojas. Conheça quais deve evitar e os que pode escolher para aquecer a sua casa.

27 outubro 2017
termoventiladores perigosos

Na nossa análise mais recente, detetámos sobretudo duas falhas graves. A mais comum, que afetou a maioria dos modelos, deveu-se a ficarem partes elétricas acessíveis após o teste de funcionamento anormal, no qual simulámos situações como sobreaquecimento ou queda do equipamento. O segundo problema ocorreu nos plásticos que sucumbiram no teste de resistência ao calor ou ao fogo.

Se comprou recentemente um dos modelos que chumbaram no teste, dirija-se à loja e tente trocar por outro aparelho sem problemas de segurança. Contudo, esta não é obrigada a trocar, se o aparelho funcionar sem problemas. Em alternativa, apresente uma reclamação ao fabricante e aguarde por uma solução.

Ver produtos perigosos

Termoventiladores perigosos

Não
comprar
FLAMA 2321FL
Preço de referência
 37,63
Não
comprar
CROWN ACREFH806
Preço de referência
 9,90
Não
comprar
JATA C204
Preço de referência
 62,24
Não
comprar
EQUATION DL15 Turbo 2000W Ref:17611741
Preço de referência
 39,96
Não
comprar
MEI HL1013
Preço de referência
 12,99
Não
comprar
DÉLONGHI HVA0220
a partir de
 26,90
Não
comprar
TRISTAR KA-5034
Preço de referência
 20,24
Não
comprar
TAURUS TROPICANO 2400 946.875
a partir de
 25,80
Não
comprar
ELECTRIC CO. TVENT 20
Preço de referência
 16,90

Como escolher e usar

Caso esteja à procura de um aquecedor portátil, consulte o nosso teste e evite os modelos chumbados, mesmo que sejam mais baratos, pois não garantem os critérios mínimos de segurança.

Conte com cerca de 1 000 W por cada 10 a 15 metros quadrados. Numa sala de 30 metros quadrados, opte por um aparelho de 2 000 a 2 500 Watts. Regule os termoventiladores potentes em pequenas divisões. Por exemplo, se for de 2 000 W, programe-o para metade da potência máxima num quarto de 15 metros quadrados.

Apesar de mais rápidos a aquecer, os modelos com ventoinha são ruidosos, pelo que não são ideais para os quartos. Para estes espaços, prefira um convector ou um aparelho sem ventoinha.

Verifique se o equipamento é leve, fácil de transportar e manobrar e se tem um painel de fácil leitura. Prefira com termóstato digital, para uma maior precisão nas temperaturas selecionadas. Um temporizador poderá ser útil para desligar automaticamente o aparelho, por exemplo, à noite ou para reduzir o período de funcionamento do equipamento.

Verifique se pode usar o termoventilador assim que o tira da caixa ou se é preciso montar, por exemplo, as rodas ou outro tipo de suporte. Neste caso, certifique-se de que são fáceis de manobrar. Os modelos mais altos devem ser estáveis e resistentes às quedas. Poder arrumar o cabo elétrico torna o aparelho mais compacto na hora de o guardar, no fim do frio.

Os termoventiladores não podem ser usados em ambientes húmidos ou com água (na casa de banho, por exemplo) se não indicarem que são adequados para estes espaços nem incluírem a marca IP21. O símbolo de uma gota riscada ou a marca IP20 na etiqueta significa que não podem ser usados em locais com água ou humidade.

Não confunda termoventiladores de parede com aparelhos de ar condicionado: apenas partilham o aspeto visual da unidade interior. Todo o resto é diferente.