Notícias

Sacos de água quente elétricos chumbam no teste à segurança

Os 3 sacos que testámos rebentaram e a água quente vazou em laboratório. Já denunciámos o caso à ASAE e à Direção-Geral do Consumidor. Mas há alternativas.

  • Dossiê técnico
  • Ricardo Pereira
  • Texto
  • Laís Castro
27 fevereiro 2019
  • Dossiê técnico
  • Ricardo Pereira
  • Texto
  • Laís Castro

João Ribeiro

 

Os sacos de água quente têm várias finalidades, como aquecer a cama em noites frias ou aliviar as dores musculares. Os elétricos prometem maior comodidade, pois ligam-se à corrente e, em “6 a 10 minutos”, prometem, estão prontos a usar. Mas descobrimos que são produtos perigosos. Levámos 3 sacos de água quente elétricos diferentes ao laboratório e detetámos várias não conformidades que colocam em risco a segurança do consumidor e deveriam impossibilitar a venda do produto. Veja no vídeo o que acontece quando o termóstato do aparelho avaria.

Como os produtos não cumprem as normas de segurança, denunciámos a situação à ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica e à Direção-Geral do Consumidor. Se tem um destes sacos, não use, independentemente do modelo e da marca. Conheça as alternativas mais seguras no final do artigo.

Elétrodos para aquecer a água são proibidos

Comprámos os 3 sacos em lojas chinesas, como um consumidor normal. Os produtos também podem ser adquiridos em lojas online.

Há uma imensidão destes produtos no mercado, o que torna quase impossível identificar todas as marcas e modelos existentes. Em muitos casos, marca e modelo não são sequer muito percetíveis na embalagem.

Estes sacos de água quente elétricos nem deveriam estar no mercado, pois recorrem a elétrodos para aquecer a água. A venda de aparelhos com elétrodos para aquecimento da água é proibida pela norma EN 603351 (a proibição é expressamente indicada na cláusula 22.33).

O sistema de regulação de temperatura, ou seja, o termóstato, também não garante a necessária segurança de utilização. Simulámos uma situação de funcionamento anormal (prevista pela norma de segurança elétrica), onde o termóstato foi desativado e os sacos foram postos em funcionamento. Mas não resistiram: aqueceram de forma indefinida, romperam e libertaram água a ferver e um jato de vapor muito quente, como mostra o vídeo. Esta situação pode acontecer em qualquer casa. Por exemplo, com a utilização do aparelho e a degradação dos componentes, o térmostato pode avariar. Se não se aperceber de que está avariado e ligá-lo, acabará por replicar o cenário do vídeo. 

Os três produtos têm a marcação CE. Mas esta é uma utilização indevida, pelas razões apontadas acima. Os produtos não deveriam estar à venda, o que revela, mais uma vez, que há falta de controlo e fiscalização das autoridades. Temos denunciado a mesma situação em outros produtos, como termoventiladores, esquentadores e cadeiras auto.

Alternativas mais seguras 

Se já é subscritor, entre no site para conhecer as alternativas seguras aos sacos de água quente elétricos.

Se ainda não tem conta, registe-se e conheça esta e outras vantagens.

Registar

 

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.