Notícias

Esquentadores: nova etiqueta energética promete eficiência

05 outubro 2015

05 outubro 2015

A partir de setembro de 2015, os esquentadores passam a exibir uma etiqueta energética e devem respeitar novos patamares mínimos de eficiência. Aparelhos mais eficientes fazem baixar a fatura de energia e a pegada ambiental.

Início

Depois das máquinas de lavar loiça e roupa, dos aparelhos de refrigeração, dos televisores e, mais recentemente, dos aspiradores, entre outros, a chamada diretiva europeia de ecodesign para produtos relacionados com energia é agora ampliada a aparelhos ligados ao aquecimento ambiente e produção de águas quentes sanitárias.

Contempla os esquentadores, assim como outros equipamentos, como os termoacumuladores elétricos, caldeiras, bombas de calor ou sistemas solares térmicos.

Ficaremos atentos para garantir o respeito dos critérios e a implementação deste novo sistema europeu de etiquetagem energética. No nosso portal Energias Renováveis em Casa, encontra alguns produtos que recorrem a tecnologias que utilizam fontes de energia renováveis e que passam também a estar abrangidos pela nova etiqueta energética.

Menos impacto no ambiente e na fatura de energia
Com a etiqueta energética, não só passam a ser exigidos novos patamares mínimos de eficiência para produtos fabricados após 26 de setembro de 2015, como também se pretende limitar as emissões de NOx (óxido de azoto) e de ruído, entre outros requisitos técnicos.  Esta medida inscreve-se na política ambiental europeia com os ambiciosos objetivos 20-20-20.

Até 2020, os 28 estados-membros da União Europeia comprometem-se a cumprir as seguintes metas: reduzir 20% das emissões de CO2, aumentar em 20% a utilização de energias renováveis e incrementar de 20% a eficiência energética dos aparelhos.


Imprimir Enviar por e-mail