Guia de compras

Aquecedores portáteis: guia de compras

Pés com meias quentes às riscas ao lado de uma chávena cor de laranja com uma bebida quente

Entre os aquecedores portáteis, recomendamos os termoventiladores e os convectores. São baratos, rápidos a aquecer, fáceis de transportar e arrumar e podem ser silenciosos.

Os aquecedores portáteis lideram ainda a lista de preferências dos portugueses. Fáceis de transportar, permitem aquecer várias divisões. Se não tem tempo a perder, espreite os resultados do nosso teste a aquecedores portáteis

Os termoventiladores e os convectores são os únicos capazes de garantir uma boa estabilidade da temperatura. Além disso, são baratos e rápidos a aquecer.

Entre os termoventiladores, existem os modelos tradicionais, com uma resistência elétrica em contacto com o ar, e os cerâmicos, nos quais a resistência está num elemento cerâmico. Os nossos testes mostram que os modelos convencionais são mais eficazes na transferência de calor do que os cerâmicos. Estes demoram mais tempo a aquecer o ar, consomem mais eletricidade e são mais ruidosos.

Não recomendamos os radiadores a óleo, os aparelhos de halogéneo e os termoventiladores de parede. Todos demoram a aquecer o espaço e não permitem uma regulação adequada da temperatura.

Já os emissores de calor podem ser uma solução nas casas com um elevado nível de isolamento térmico e com a contratação da tarifa bi-horária. Estes aparelhos permitem controlar a temperatura da divisão de forma muito satisfatória e podem acumular calor durante a noite, quando está em vigor a tarifa de eletricidade mais baixa (nas horas de vazio), e libertá-lo mais tarde, quando a tarifa é mais elevada (horas de cheio). Contudo, para tal acontecer, é fundamental que a casa esteja bem isolada, com poucas ou nenhumas perdas. Caso contrário, o calor perde-se. Face ao atual panorama da construção nacional, ao tempo que demoram a aquecer uma divisão e ao custo elevado de alguns equipamentos, não os recomendamos.

Termoventilador é o mais barato

Termoventilador, 2000 Watts a partir de 10 euros.
Termoventilador, 2000 Watts a partir de 10 euros.

Uma resistência elétrica e uma ventoinha aquecem e propagam o ar quente de forma rápida. Vem equipado com termóstato e, geralmente, permite selecionar várias potências.

Pontos fortes e fracos 

  • Leve e compacto (menos de 1,5 quilos) 
  • Aquecimento rápido 
  • Temperatura homogénea na divisão
  • Ruidoso, logo pouco adequado para os quartos

Convector garante temperatura estável

Convetor, 2000 Watts desde 20 euros.
Convector, 2000 Watts desde 20 euros.

Resistências elétricas na parte inferior. O ar frio entra por baixo e sai por cima quente. Alguns incluem ventoinha, o que acelera a saída de ar quente e o aquecimento da divisão.

Pontos fortes e fracos

  • Silencioso, quando não tem ventoinha
  • Bom controlo da temperatura na divisão
  • Temperatura homogénea na divisão
  • Alguns são volumosos e pesados (cerca de 3 quilos)

Equipamentos para aquecer que não recomendamos

Estes aparelhos demoram a aquecer e/ou não permitem uma regulação adequada da temperatura.

Aquecedor a halogéneo

Aquecedor de halogéneo, 1200 Watts desde 17 euros.
Aquecedor de halogéneo, 1200 Watts desde 17 euros.

Horizontal ou vertical, inclui elementos de halogéneo que irradiam calor para quem está próximo do seu raio de ação.

Pontos fortes e fracos 

  • Silencioso
  • Pouco pesado (menos de 2 quilos)
  • Sem termóstato, logo sem controlo de temperatura
  • Mais lentos a aquecer
  • Serve, sobretudo, quem está junto do aparelho

Radiador a óleo

Radiador a óleo, 2000 Watts desde 30 euros.
Radiador a óleo, 2000 Watts desde 30 euros.

Resistências aquecem o óleo na estrutura metálica. Esta, em contacto com o ar, irá aquecê-lo. Quanto maior a área de contacto com o ar, maior a transferência de calor.

Pontos fortes e fracos 

  • Silencioso
  • Volumoso e pesado (mais de 10 quilos)
  • Lento a aquecer 
  • Dificuldade em controlar temperatura

Termoventilador de parede

 

Termoventilador de parede 
Termoventilador de parede, 2000 Watts, a partir de 24 euros.
Uma resistência elétrica e uma ventoinha aquecem e propagam o ar quente pela divisão. Pode vir equipado com termóstato e também com comando à distância, uma vez que tem de ser instalado na parede, geralmente por cima de portas.

Pontos fortes e fracos

  • Não ocupam espaço no chão das divisões
  • Comando à distância
  • Muito mais lentos a aquecer do que os termoventiladores de chão
  • Ruído
  • Controlo da temperatura na divisão

Emissores de calor

emissor calor Taurus 
Emissor de calor, 1500 Watts, a partir de 70 euros.

Este aparelho emite calor quando está em funcionamento, através da ativação de uma resistência elétrica. Quando se desativa, continua a libertar algum do calor acumulado no interior.

Pontos fortes e fracos

  • Silencioso
  • Inclui um termóstato digital que permite regular a temperatura com maior precisão
  • Permite programar o funcionamento
  • Pode ser fixado à parede
  • Demora muito a aquecer uma divisão
  • Consumo elevado se estiver em constante funcionamento
  • Alguns modelos não são portáteis

Segurança a instalar e a usar aquecedores

Conte com 1000 W por cada 10 a 15 metros quadrados. Numa sala de 30 m2, opte por um aparelho de 2000 a 2500 W. Apesar de mais rápidos a aquecer, os modelos com ventoinha são ruidosos. Para os quartos, prefira um equipamento sem ventilador, como um convector. Caso pretenda transportar o aparelho entre divisões da casa, verifique se é leve, fácil de transportar e manobrar e se exibe um painel fácil de ler.

Evite rasteiras e minimize o risco de quedas, fazendo passar o fio elétrico por baixo dos móveis ou tapetes. Não instale os aquecedores junto de cortinados ou materiais inflamáveis. Estes aparelhos não são secadores de roupa, nem deve usá-los em ambientes húmidos ou com água (casa de banho, por exemplo), exceto se indicarem, na placa de características, que são adequados para funcionarem neste tipo de ambientes (nível de proteção IP21 ou superior).

Consigo um aquecimento mais eficiente

Evite deixar o equipamento a funcionar durante longos períodos. Caso sinta que a temperatura começa a ser excessiva, desligue ou reduza a regulação do termóstato de modo a que o aparelho pare ou se desligue. Além de obter maior conforto, poupa eletricidade.

No inverno, a temperatura de conforto situa-se nos 20 a 22ºC. A escassez de termóstatos digitais e a imprecisão dos modelos mecânicos dificultam a regulação. Prefira modelos com painel digital. Podem oferecer uma precisão adicional a regular a temperatura. 

Feche as portas e as janelas e verifique se estão bem calafetadas. O uso de cortinados pesados ajuda a conservar o calor. Colocar tapetes e carpetes também contribui para isolar a casa do frio. Nos dias e nas horas de sol, abra os cortinados e deixe os raios entrar.

É nosso subscritor e precisa de esclarecimentos personalizados? Contacte o nosso serviço de assinaturas. Relembramos ainda que pode aceder a todos os conteúdos reservados do site: basta entrar na sua conta

Se ainda não é subscritor, conheça as vantagens da assinatura.

Subscrever

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.