Dicas

Janelas à altura do seu conforto

23 agosto 2010

23 agosto 2010

Mudar as janelas antigas por modelos mais eficientes ao nível energético compensa em conforto e respeito pelo ambiente.

Luz e ar fresco flúem pelas janelas para criarem ambientes de conforto na nossa casa. Mas estas aberturas são também responsáveis por grandes perdas de calor no Inverno e ganhos no Verão.

Se não quiser investir na renovação, pode melhorar o desempenho das suas janelas com fita isoladora, que custa 1,30 euros por metro. Também pode intervir nas caixas dos estores. Aplique um material no interior, como lã de rocha com 45 mm de espessura, com preço a rondar € 3,80 por metro quadrado. Esta solução melhora ainda o isolamento acústico na divisão.

Muitas opções para arejar a casa

  • As janelas fixas não são usadas para ventilar, mas úteis na iluminação de uma cave ou garagem.
  • As de correr, muito frequentes, poupam espaço e são versáteis na escolha de estores e cortinas. Porém, sobretudo as antigas, têm folgas por onde passa o ar.
  • Os modelos de guilhotina têm a parte superior fixa e a inferior móvel. Ao nível de infiltrações, são idênticas às de correr.
  • Com as janelas de batentes, a abrir para o interior, pode usar toda a abertura para ventilar. Contudo, ocupam mais espaço e podem limitar a escolha dos móveis.
  • As janelas oscilo-batentes são as mais versáteis. O eixo vertical permite abrir na totalidade, como as normais janelas de batente. Com o horizontal, a parte inferior fica fixa e a superior abre. Este sistema areja de forma intensiva sem a janela fechar de repente e originar um acidente.

Controle a radiação sem perder luz

  • A luz natural favorece a produtividade no trabalho, melhora os resultados dos estudantes e tem efeitos positivos nos estados depressivos. Os vidros simples incolores proporcionam mais luz, mas provocam mais frio no Inverno. Na versão colorida ou reflectora, reduzem um pouco a luz e o calor, o que traz alguns benefícios apenas no Verão. Existem técnicas para controlar a radiação de modo selectivo: parte dos raios infravermelhos é bloqueada e a luz continua a passar.
  • Os vidros duplos recorrem a duas folhas de vidro separadas por uma camada de ar seco, que serve de isolamento e reduz para metade a transmissão de calor. Se a camada for composta por gases como o árgon ou o crípton e tiver mais espessura, o isolamento é ainda maior. Porém, o vidro duplo incolor deixa passar a radiação infravermelha, o que provoca aquecimento na divisão. O calor fica retido no interior devido ao efeito isolante do vidro. É benéfico no Inverno, embora, no Verão, sejam essenciais estores ou persianas. Também pode optar por vidro reflector ou selectivo como camada externa do vidro duplo.

Caixilharia mais eficiente

  • Os caixilhos de madeira conferem bom isolamento e, com uma manutenção cuidada, podem durar muito. O preço é de cerca de 900 euros.
  • Os de alumínio, mais leves e sem exigirem grande tratamento, são os mais usados em Portugal. Pouco estéticos no passado, os acabamentos têm agora mais opções, algumas a imitar madeira. O alumínio deixa passar muito calor do ambiente mais quente para o mais frio. Para resolver o problema, os fabricantes introduziram uma película de poliamida entre a parte externa e a interna do caixilho para bloquear o calor. São os chamados caixilhos de corte ou ruptura térmica. O preço dos modelos de alumínio vai de 230 a 2000 euros.
  • Os caixilhos em PVC, plástico com boa rigidez, são estáveis e pouco sujeitos a dilatações. Proporcionam bom isolamento térmico e acústico. A eficiência na transmissão do calor pode até ser superior à da madeira se o interior do caixilho for composto por câmaras com material isolante. Se não prescinde de um acabamento em madeira no interior, opte por modelos híbridos. A madeira é combinada com alumínio ou PVC no exterior. O preço varia entre 395 e 950 euros.