Notícias

Rotura de água: empresa cobra mais de € 3 mil indevidamente

03 agosto 2016 Arquivado
 cobrança indevida por rotura na canalização da água

03 agosto 2016 Arquivado
Sónia Castro detetou uma rotura na canalização, que entretanto resolveu. Quando recebeu a fatura, foi surpreendida com uma despesa de 5532,86 euros.
Perante um valor tão elevado, claramente atípico do que eram os consumos habituais da família, Sónia Castro impugnou a fatura. A empresa Águas de Cascais faturou o consumo de água em todos os escalões existentes na lei e cobrou taxas de saneamento indevidas.

A nossa associada solicitou à empresa que fossem aplicados aos 1 227 m3 em questão os escalões normalmente atribuídos aos consumos da família, e não o último escalão que a Águas de Cascais estava a usar e que resultava num valor astrónomico.

Por sua vez, a Águas de Cascais estava a cobrar taxas de saneamento e de resíduos sólidos incorretas. Isto porque, no caso de uma rotura comprovada, o volume de água perdida e não recolhida pela rede de saneamento não é considerado para efeitos de faturação.

A única resposta que Sónia recebeu foi um aviso de corte da água, por não ter pago a fatura.

Após a associada pedir a nossa intervenção, iniciámos contactos com a empresa. Esta propôs um plano de pagamento de 24 prestações mensais sucessivas.

Depois de várias trocas de e-mails, chegou a resposta esperada por Sónia Castro. Dado que ficou comprovada a existência e reparação de uma rotura na canalização interna, a Águas de Cascais corrigiu as contas e procedeu à anulação de € 2999,77 e € 68,27 relativos a tarifas de saneamento e resíduos sólidos urbanos.

Se tiver um conflito de consumo com uma empresa, formalize a sua queixa na nossa plataforma Reclamar. Aí também pode consultar casos semelhantes de outros consumidores que podem ajudar na resolução do seu conflito.

Imprimir Enviar por e-mail