Notícias

INDAQUA resiste a alargar abastecimento de água potável

18 novembro 2016 Arquivado
sem água potável

18 novembro 2016 Arquivado
Maria Laurentina Gomes não tinha água potável em casa, apesar de morar a 30 metros do ramal de abastecimento. A INDAQUA só resolveu o problema após a nossa intervenção.

Em abril de 2011, o marido da leitora Maria Laurentina Gomes, de Vila do Conde, celebrou um contrato para o fornecimento de água com a INDAQUA, Indústria e Gestão de Água, S.A. O casal não tinha água potável. Por sua vez, a água do ribeiro que passa junto à casa, e onde costumavam abastecer-se, é imprópria para consumo.

Três anos depois, a INDAQUA iniciou as obras de colocação de condutas de água e saneamento básico e pluvial para abastecer as zonas habitacionais. Apesar do contrato celebrado com o marido da nossa leitora (entretanto falecido), a empresa não fez a ligação das condutas de água à casa de Maria Laurentina, que se encontrava a 30 metros do ramal público de abastecimento.

Considerando inadmissível não ter água potável em casa, um bem essencial para qualquer cidadão, e insatisfeita com a atitude da INDAQUA, Maria Laurentina Gomes pediu a nossa ajuda.

Chamámos a atenção da empresa para a particularidade do caso e reforçámos que existia um contrato datado de 2011. A INDAQUA enviou 2 técnicos à casa da leitora para avaliar a situação. Depois de informá-la de que iria elaborar um orçamento para avaliar os custos, a empresa alegou que a rua de Maria não fazia parte do contrato de concessão e que o arruamento da casa não estava no plano de investimento.

Não baixámos os braços e, após uma segunda intervenção, a INDAQUA aceitou efetuar uma extensão de rede, desde a infraestrutura pública mais próxima até à casa da leitora. Depois de uma batalha que durou alguns anos, Maria Laurentina conseguiu receber água potável em casa. 

Se tiver um problema com uma empresa, apresente a sua queixa na nossa plataforma Reclamar. Além de encontrar casos semelhantes que podem ajudem a resolver o impasse, pode é possível pedir ajuda aos nossos especialistas.

 


Imprimir Enviar por e-mail