Notícias

Dois anos de denúncias de água: metade dos casos resolvidos

27 fevereiro 2015 Arquivado

27 fevereiro 2015 Arquivado

Entre 2013 e 2014, recebemos 1400 denúncias de consumidores atentos ao desperdício de água. Metade foi resolvida. Propusemos à Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos que a nossa ferramenta seja desenvolvida ao nível nacional.

Perdas de água gigantescas

A nossa campanha alertou para as perdas de água nos sistemas de abastecimento público, na ordem dos 25%, havendo municípios onde este número triplica. Os dados mais recentes, de 2012, publicados pela Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, são claros: existem perdas gigantescas de água, insuficiente reabilitação de condutas e número elevado de avarias nas condutas de abastecimento e bastantes entidades de diversos municípios sem essa informação crucial. Trata-se de um cenário que reforça a necessidade inadiável de uma política eficiente nas perdas de água e sustentabilidade futura do abastecimento de água. 

Rega desadequada de espaços verdes municipais gerou grande parte das denúncias.
Rega desadequada de espaços verdes municipais gerou grande parte das denúncias.
Fuga de água na boca-de-incêndio, nas regas e nas lavagens de rua ocuparam o terceiro lugar nas denúncias.
Fuga de água na boca-de-incêndio, nas regas e nas lavagens de rua ocuparam o terceiro lugar nas denúncias.
Fuga de água nas bocas de lavagem.
Fuga de água nas bocas de lavagem.

Diariamente, há 88 municípios a perder, por ramal, mais de 150 litros de água já tratada. Em 44 municípios não existe informação sobre o volume de perdas de água. Analisando os aumentos das tarifas de água nos 88 municípios com perdas inaceitáveis, verificamos que 47% destes aumentaram o tarifário de 2012 para 2013. As perdas reais de água tratada e distribuída pelas entidades e que a vendem diretamente ao consumidor atingiram em 2012 um volume superior a 155 milhões de metros cúbicos.

Tendo em conta um consumo médio por família de 10 m3 por mês, o volume perdido permitiria o acesso a 1,3 milhões de famílias em situação de ameaça de pobreza ou exclusão social. Mais: considerando o valor de água não faturada (somando as perdas reais aos metros cúbicos não medidos ou perdidos sem serem faturados pelas entidades gestoras), chega-se a um volume superior a 256 milhões de metros cúbicos.