Notícias

Água canalizada com cor estranha: participe ao distribuidor

07 janeiro 2014 Arquivado
Fatura da água

07 janeiro 2014 Arquivado

De uma fatura mensal de € 30, Cristina Almeida passou a pagar quase 100 euros. Tudo porque era obrigada a deixar a água correr durante algum tempo até ficar transparente.

Chegar a casa e fazer o jantar ou tomar banho é um final de dia garantido? Para a nossa associada Cristina Almeida, 35 anos, de Foros de Salvaterra (distrito de Santarém), foi antes uma incógnita, de julho de 2012 a março de 2013.

Perante a água suja, de cor castanha, que corria nas torneiras, Cristina só podia cozinhar e tratar dos banhos da família com água engarrafada. Ao deixar a água correr durante algum tempo, o problema atenuava. Resultado: de cerca de € 30, Cristina passou a pagar quase € 100 de água por mês.

Dois alertas para solução limpa
A nossa leitora pediu explicações à empresa fornecedora, a Águas do Ribatejo, e apelou a que descontassem os valores de consumo “anormal” das suas faturas. A empresa justificou que o problema se devia a “situações pontuais de desprendimento de sedimentos depositados (...) nas condutas mais antigas”. Esclarecia ainda que a nossa leitora e a família não corriam riscos para a saúde. Como os episódios continuavam, Cristina pediu a nossa intervenção.

Ao primeiro contacto, não recebemos resposta da Águas do Ribatejo. Só após a segunda interpelação, a empresa nos informou que, numa “situação de exceção”, iria emitir um crédito. Cristina confirmou que recebeu 212,59 euros. Entretanto, o problema surgiu mais uma vez, mas foi resolvido no local pelo piquete da Águas do Ribatejo, através de uma descarga.

O nosso conselho
Se a água tem uma cor amarela ou castanha, a causa são sedimentos em suspensão. Não deve bebê-la. Participe a anomalia ao distribuidor. Já a água esbranquiçada é frequente após intervenções na rede, devido ao excesso de ar dissolvido, mas não é um risco para a saúde. Desaparece quando se agita a água.


Imprimir Enviar por e-mail