Notícias

Sabe quantas taxas paga nos seus seguros?

21 junho 2018
Simulador DECO PROTESTE de seguro automóvel

21 junho 2018

Se olhar para a apólice do seu seguro automóvel, multirriscos ou de acidentes de trabalho, verá que está dividida em várias parcelas. Sabe o que está a pagar? Ou a quem?

Automóvel, casa, vida, saúde ou responsabilidade civil. Quem não tem uma pasta cheia de apólices em casa? Além das cláusulas infindáveis, que raramente se leem, (quase) ninguém repara que os prémios dos seguros estão divididos em várias parcelas.

Sempre a somar

O preço que paga pelo seguro, denominado prémio total, resulta da soma do prémio comercial, que representa a transferência de risco para a seguradora por eventuais sinistros, com os custos de aquisição (comissão do mediador, por exemplo), de gestão e de cobrança. A estes valores soma-se ainda o custo da emissão da apólice ou da ata com as alterações realizadas a posteriori às condições (cerca de € 5), cobrado na primeira anuidade ou sempre que haja modificações. Há ainda os custos de fracionamento do prémio, que variam de companhia para companhia e dependem de o pagamento do prémio ser mensal, trimestral, semestral ou anual. Muitas seguradoras não cobram esta parcela se o pagamento for efetuado por débito direto.

Finalmente, o prémio total obtém-se adicionando as cargas fiscais e parafiscais. Esta é uma lista considerável de taxas, que incidem e dependem do ramo do seguro: automóvel, vida, acidentes de trabalho e multirriscos-habitação. As principais entidades beneficiadas são o Instituto Nacional de Emergência Médica, a Autoridade Nacional de Proteção Civil, o Fundo de Garantia Automóvel, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, e o Estado, através do Imposto de Selo.
Seria desejável que as seguradoras discriminassem estes valores, permitindo o conhecimento dos montantes e as entidades, mas não acontece em muitos casos. Por exemplo, no caso do seguro de vida, incide uma taxa de 2,5% que reverte a favor do INEM.

 

 


Imprimir Enviar por e-mail