Notícias

Sistemas de navegação no automóvel: o top para viajar na rota certa

Resultados do teste

Testámos a navegação através do ecrã, com instruções de voz, o cálculo dos percursos e a qualidade do sinal de GPS. Também medimos o tempo de arranque, a utilização, os menus e o reconhecimento de voz. A interação através do ecrã tátil ou pelos botões no tabliê, na consola central ou no volante, bem como a visibilidade são outras provas de fogo.

Connect Nav, Peugeot 5008

Please fill the source and the alt text 
Connect Nav no equipamento de série do Peugeot 5008.

Qualidade Global 74% Preço equipamento de série

A base do sistema é partilhada com outros carros do grupo PSA. Mas, no Peugeot 5008, o generoso ecrã, que substitui o painel de instrumentos, contribui para uma boa experiência de utilização. O grafismo consegue um bom compromisso entre sofisticação e simplicidade. Também permite alguma personalização, para dar primazia à informação sobre a condução ou às instruções de navegação. Nota positiva para o design minimalista do cockpit com poucos botões. Muitas interações simples, como alterar a climatização, passam a fazer-se pelo ecrã tátil. Também marca pontos por equipar este carro de série.

iDrive, BMW 520d

Please fill the source and the alt text 
iDrive custa € 780 para o BMW Série 5.

Qualidade Global 74% Preço € 780

Na BMW, o sistema que testámos designa-se por navegação professional iDrive. É um dos mais completos e intuitivos. Pode interagir pelo ecrã tátil, através dos comandos na consola central ou do volante. Permite escrever manualmente as letras num touchpad que também funciona com botão rotativo. O head-up display é uma boa ajuda para manter os olhos na estrada. Apresenta de forma simplificada informação da condução e instruções de navegação. O ecrã principal é tão grande que pode ser dividido em dois e assim exibir em simultâneo informação do trânsito e sobre o carro. O serviço de concierge está à distância de dois ou três cliques e permite ter em linha um assistente para, por exemplo, procurar pontos de interesse e introduzi-los no sistema de navegação remotamente. 

Connect Nav, Citroën C3

Please fill the source and the alt text 
Connect Nav desde € 800 no Citroën C3.

Qualidade Global 73% Preço € 800

A Citroën iniciou uma parceria com a TomTom e as novas gerações do seu sistema melhoraram muito. Pode personalizar a interface, mas o funcionamento é bastante idêntico ao dos aparelhos da TomTom. A pesquisa de endereços é uma tarefa fácil e rápida. Ponto fraco: não permite rever o resumo do percurso, antes de iniciar a viagem.

R-Link, Renault Clio

Qualidade Global 72% Preço € 590

Com 7 polegadas, apresenta um bom processador e é mesmo rápido a reagir ao toque e a calcular os percursos a qualquer momento. É fácil e agradável inserir destinos. O mapa de cores é fácil de ler. O botão Home é muito útil, face aos inúmeros menus disponíveis. Ponto fraco: tempo para iniciar.

R-Link 2, Renault Mégane

Qualidade Global 71% Preço equipamento de série

A Renault abandonou o sistema desenvolvido com a TomTom para o R-Link da 1.ª geração (testado no Clio). Recorre agora a uma solução da iGO. Permite personalizar o ecrã, segundo as preferências do utilizador. O head-up display mostra apenas o básico e é pouco amigo do utilizador.

LG Nav, Kia Cee’d

Please fill the source and the alt text 
LG Nav equipa de série o Kia Cee'd.
Qualidade Global 68% Preço equipamento de série

Tal como a Dacia, Renault e Toyota, a Kia recorre a uma solução da iGO. O elemento mais visível é o guia simbólico no ecrã secundário no centro do painel de instrumentos. Com um teclado amplo, é fácil digitar um endereço. O processador é rápido e mostra propostas de imediato. Gostámos do botão “Nav”, que é um atalho para aceder com rapidez ao menu de destinos. Também apreciámos a escala do mapa, a par das possibilidades e da qualidade do zoom no ecrã principal. O motor de pesquisa é bom, mas o condutor não é alertado quando a área não pode ser alcançada por carro (por exemplo, vias pedonais).

UConnect, Fiat 500L

Qualidade Global 68% Preço € 550

É uma das opções mais baratas. O ecrã é pequeno (5 polegadas) e a resolução muito limitada (400x240). Com boas instruções visuais e de voz, a navegação é fácil de utilizar. A interação é muito lenta e o sistema abusa da paciência a calcular percursos. Também recorre a uma solução de navegação da TomTom.

Sync 3, Ford Focus

Qualidade Global 67% Preço € 991

Apreciámos o sistema de reconhecimento vocal. Nas autoestradas, consegue um resultado acima da média: lê os números das autoestradas e das saídas mais relevantes e os nomes das cidades em muitas junções. O sistema de navegação propõe rotas alternativas, mas nem sempre sugere as melhores opções. É muito rápido a recalcular trajetos, mas tende a recomendar avenidas principais, em vez de estradas secundárias, que nalgumas situações podem ser mais rápidas. Antes de iniciar a viagem, não permite visualizar o resumo do trajeto completo. Sem teclas de atalho para ajudar na navegação, tudo tem de ser feito no ecrã tátil.

Garmin Map Pilot, Mercedes C220D

Please fill the source and the alt text 
A Mercedes apostou na Garmin.
Qualidade Global 66% Preço € 1150

O sistema é gerido por dois comandos: o botão rotativo e um touchpad original, ambos na consola central. O ecrã principal surge numa posição elevada e o condutor não tem de olhar para baixo. O programa de navegação funciona bem nos ecrãs de 5 e de 7 polegadas. O assistente de mudança de faixas é realista e uma grande ajuda no momento de decidir a faixa mais adequada. Dentro das cidades, as instruções visuais também impressionam.

Não tem ecrã tátil. No confronto com os ecrãs de 8 a 9 polegadas da concorrência, esta proposta desilude, sobretudo se tivermos em conta que se trata de uma marca dita premium. O recálculo dos percursos é a mancha do sistema. É muito lento e pouco lógico: demora em média 15 segundos. Dá preferência às vias principais, em vez dos atalhos mais rápidos. Para regressar a casa, seguimos o Google Maps.

Nissan Connect, Nissan Qashqai N-Connecta

Qualidade Global 64% Preço equipamento de série

O sistema não é vendido como opcional do Nissan Qashqai. Faz parte do equipamento da versão N-TEC e superiores. Com 7 polegadas, o ecrã de navegação exibe também o assistente de mudança de faixa. Conta com um ecrã secundário que alerta para a velocidade máxima, entre outros. Os gráficos já estão um pouco ultrapassados e a escolha das cores nem sempre é a melhor.

MMI Navigation, Audi A3

Qualidade Global 62% Preço € 2990

O motor de pesquisa impressiona os nossos especialistas. A maioria das rotas alternativas são relevantes. Dispõe de vários comandos de atalho para as funções mais importantes. 

Contra: não tem ecrã tátil. O assistente de faixas surge no painel de instrumentos e os outros elementos (número de estrada, nome da cidade) no ecrã central. Nas autoestradas, o mapa é uma autêntica árvore de natal. As cores são demasiado brilhantes e pouco contrastantes. É um extra muito caro.

Media Nav Evolution, Dacia Sandero

Qualidade Global 62% Preço € 300

É uma proposta muito simplificada e fácil de utilizar, baseada no sistema da iGO com uma pesquisa eficiente. As instruções visuais na cidade são boas e o recálculo de trajetos é rápido. O ecrã surge demasiado em baixo, o que não ajuda a fazer uma condução segura. Em autoestrada, o zoom é muito pobre.

Navi900 Intellilink, Opel Astra

Please fill the source and the alt text 
Interface muito fácil de usar no Opel Astra.

Qualidade Global 62% Preço € 950

O reconhecimento de voz impressiona, mas tem de começar a navegação com um clique no ecrã. As instruções de voz na cidade são boas. O ecrã secundário no painel de instrumentos acusa muitos reflexos. Não exibe rotas alternativas e não permite visualizar o resumo da viagem completa antes de iniciar o trajeto. O sistema é pouco generoso em opções e configurações.

Sensus Navigation, Volvo V40

Qualidade Global 59% Preço € 1722

O equipamento agrada e as respostas são rápidas. Com uma estrutura clara, o principal comando é fácil de usar. Apresenta boas instruções vocais. Não dispõe de ecrã tátil, nem regista histórico de cidades ou estradas nos endereços. Também não conta com trajetos alternativos. O sistema de zoom não é automático. O condutor tem de ajustar a escala manualmente.