Dicas

Como atualizar mapas no GPS

25 janeiro 2016
Saiba como atualizar os mapas do GPS, por forma a tirar o maior partido deste aparelho.

25 janeiro 2016

Para tirar o melhor partido de um aparelho de navegação, os mapas têm de estar atualizados. Sem isso, são pouco úteis os algoritmos de cálculo mais avançados, os melhores gráficos, o processamento mais rápido ou a maior versatilidade.

É frustrante andar às voltas, porque a estrada de destino não existe na base de dados do equipamento. Antes de partir, verifique se a cartografia está atualizada e se o destino selecionado é o pretendido. Muitos sistemas já permitem visualizar um resumo, com opções de percurso. Compare a distância, o tempo estimado de viagem, o tipo de via e a existência de portagens, para escolher a opção mais vantajosa. No nosso comparador pode consultar o número de alternativas de percurso que são calculadas em cada sistema. Procure, nas especificações, a opção "Percursos calculados em simultâneo".

Muitos sistemas já permitem visualizar o resumo das opções de percurso.

Na hora da compra, verifique a data da compilação do mapa. Nos aparelhos de navegação, muitas vezes vem impressa na caixa; noutras é necessário ligar o aparelho e aceder às definições. Alguns fabricantes dão a possibilidade de fazer a primeira atualização gratuitamente. Consulte o manual de instruções para saber se é o caso. Outros propõem modelos com as atualizações de mapas gratuitas e vitalícias. Esta oferta não é tão apelativa quanto parece, pois abrange apenas o período de vida útil do equipamento, algo que é a própria marca que define.

Se a atualização for paga considere seriamente a opção de mudar de sistema de navegação. Se tiver um smartphone pode até conseguir apps gratuitas de boa qualidade, por isso consulte o nosso comparador.

No caso dos sistemas integrados de origem nos automóveis, muitas marcas cobram para proceder à atualização e esta operação implica uma visita à oficina.

Apps: um caso especial
Quem usa uma app com navegação online, está salvaguardado, porque os cálculos são feitos com base nas cartografias mais recentes. Nos sistemas offline (ou onboard), a solução passa por recorrer ao serviço de atualização disponibilizado pelo fabricante que, no geral, é bastante caro, chegando em alguns casos a ultrapassar o custo de uma app ou de um aparelho de navegação mais básico.