Notícias

IKEA Sladda numa primeira volta com Vítor Gamito e fãs de bicicletas

11 janeiro 2017
bicicleta Sladda vídeo

11 janeiro 2017
Para testar até que ponto a Sladda da IKEA é fácil de montar, convidámos alguns associados e Vitor Gamito, vencedor da Volta a Portugal em bicicleta. Conheça os pontos fortes e fracos da Sladda.

“Mais fácil de montar do que alguns móveis IKEA”: no final, a operação de montagem da nova bicicleta citadina IKEA, Sladda, não se revelou assim tão complexa para os nossos convidados. Mas falamos de fãs e conhecedores do mundo das bicicletas. Confirme no vídeo as impressões sobre este novo conceito.

Um novo conceito

Por € 599, ou € 449 para quem tem cartão IKEA Family, a Sladda anuncia-se como uma bicicleta urbana que exige pouca manutenção. A grande novidade está na substituição da correia tradicional por uma correia de transmissão - que não enferruja, não precisa de óleo, e garante percorrer até 150 mil quilómetros.

 
A IKEA garante que a correia de transmissão não enferruja, nem precisa de óleo.
 

 
Alguns componentes da bicicleta já vêm montados. 
 
 
Contámos com a participação de Vítor Gamito, para quem a bicicleta é fácil de montar, mesmo sem livro de instruções.

 

Conforto e condução só para cidade plana

“É muito indicada para percursos citadinos planos”, sublinha o nosso associado Ricardo Cabouco, 38 anos, da Amadora, quando perguntamos a sua opinião sobre o conforto. A Sladda é feita de alumínio e anunciada como “leve” para os percursos urbanos e para ser transportada. Mas os nossos associados observaram que o peso não é o mais indicado para as nossas cidades, sendo a Sladda mais pesada do que a maioria dos modelos citadinos.

 

 
Ricardo Cabouco utiliza bicicleta todos os dias, mas considera o preço da Sladda demasiado elevado.
 
A Sladda está equipada com 2 mudanças automáticas, que são acionadas sem intervenção do condutor, com base na velocidade nos pedais. Este sistema não é muito prático para usar nos cenários urbanos portugueses, onde “plano” é um adjetivo raro.

A travagem atrás é acionada nos pedais, ao inverter o sentido. “Este travão requer alguma habituação e não é a melhor opção em termos de controlo”, destaca o associado João Silva, 38 anos, de Lisboa.

 
João Silva admite que o modelo da IKEA foi uma surpresa agradável, mas com muitos pontos a melhorar. 
 
 
Em pisos irregulares, Carlos Gonçalves assinala que há perda de conforto.
 
 
Vítor Gamito reconhece vantagens na nova correia, mas lembra a necessidade de apoio na manutenção. 

O mesmo equipamento a metade do preço

A bicicleta é unissexo e personalizável. Permite acrescentar acessórios como malas, cestos e até um atrelado. O guiador é ajustável em altura e as rodas podem ter entre 26 ou 28 polegadas. Apesar disso, as características do equipamento não justificam o preço elevado. Com menos 200 euros, pode comprar uma bicicleta citadina. Mesmo no grupo dos modelos elétricos, pode encontrar alguns por menos de 700 euros.

 

 
A nossa equipa no primeiro teste à bicicleta Sladda. 

 

Pontos fortes

  • Menor manutenção exigida: correia, sistema de velocidades automático, travagem traseira nos pedais
  • Correia mais silenciosa e com menos manutenção do que uma corrente
  • Fácil de montar
  • Ergonómica: posição de condução confortável e ajustável

Pontos fracos

  • Travagem nos pedais pode não ser prático
  • Sistema com 2 mudanças automáticas desadequado para o relevo do nosso país
  • Acabamento com pintura anticorrosão, mas aspeto inacabado
  • Necessidade de montagem
  • Preço elevado

 


Imprimir Enviar por e-mail