Notícias

Hoverboard, trotineta, monociclo e diciclo elétrico: a experiência de quem sabe

Não gaste um cêntimo sem conhecer a experiência e a opinião dos consumidores sobre rodas. Os diciclos elétricos ganham pontos na satisfação, mas são os mais caros.

11 outubro 2017
Hoverboards

Thinkstock

Nos parques e nos passeios há cada vez mais portugueses a deslocar-se com engenhos elétricos, como hoverboards ou trotinetas. Para avaliar a experiência e a satisfação com alguns aparelhos elétricos de transporte pessoal, realizámos um questionário online aos nossos associados. Em junho, realizámos este estudo, pioneiro e piloto, com as nossas associações da Bélgica, Espanha e Itália. Estes aparelhos invadiram as lojas, mas ainda não são muito comuns na casa dos portugueses. No total, 130 consumidores responderam ao questionário. Obtivemos notas de avaliação e satisfação para 118 equipamentos.

Na maioria dos casos, os inquiridos compraram estes aparelhos para atividades de lazer e para se deslocarem mais facilmente, sendo que 70% usam-nos sobre os passeios. A maioria tem um hoverboard (61%) e cerca de um quinto uma trotineta elétrica. Cerca de um em cada dez optou por um monociclo elétrico (one wheel) e a mesma proporção por um diciclo elétrico (personal transporter). O hoverboard é sobretudo usado por crianças, enquanto os outros são manobrados por adultos.

A experiência dos utilizadores

Ao nível da satisfação, os diciclos elétricos estão na frente com uma pontuação elevada em quase todos os critérios. Os inquiridos destacam a facilidade de condução, o tempo de adaptação e o facto de ser fácil de manobrar. As trotinetas elétricas também recebem uma boa classificação global, sobretudo por serem fáceis de usar com comandos e manobrar.

Os hoverboards e os monociclos elétricos não são muito apreciados: os utilizadores admitem estar pouco ou nada satisfeitos com o tempo necessário para aprender a ganhar equilíbrio. O custo de recarga da bateria é um dos pontos menos apreciados em todos os aparelhos. Cuidado com os acidentes. Não são raros. Felizmente, na maioria dos casos do nosso estudo, o acidente ocorre sem gravidade.

Diciclo elétrico

Please fill the source and the alt text 
Com 5 estrelas na satisfação global, os diciclos elétricos custam desde 500 euros.
Número de respostas 10

Pontos fortes

  • Facilidade para conduzir, manobrar e utilizar.
  • Tempo de adaptação.
  • Solidez e autonomia.
  • Facilidade para recarregar a bateria.
  • Tempo que poupa na deslocação.

Pontos fracos

  • Custo e tempo para recarregar a bateria.
  • Relação entre a qualidade e o preço.

Trotineta elétrica

Please fill the source and the alt text 
Com 4 estrelas na satisfação global, as trotinetas elétricas custam desde 160 euros.
Número de respostas 26

Pontos fortes

  • Facilidade para conduzir, manobrar e utilizar.
  • Tempo de adaptação.
  • Facilidade para recarregar a bateria.
  • Tempo que poupa na deslocação.

Pontos fracos

  • Custo para recarregar bateria.

Hoverboard

Please fill the source and the alt text 
Com 3 estrelas na satisfação global, um hoverboard custa desde 150 euros.

Número de respostas 72

Pontos fortes

  • Facilidade para manobrar, utilizar e para recarregar a bateria.

Pontos fracos

  • Custo para recarregar a bateria.
  • Autonomia da bateria.
  • Tempo que gasta na deslocação.
  • Relação entre a qualidade e o preço.

Monociclo elétrico

Please fill the source and the alt text 
Com 3 estrelas na satisfação global, um monociclo elétrico custa desde 300 euros.
Número de respostas 10

Pontos fortes

  • Facilidade para carregar a bateria e o tempo de recarga.

Pontos fracos

  • Solidez e tempo de adaptação.
  • Facilidade de condução e manobras.
  • Custo para recarregar a bateria.
  • Relação entre a qualidade e o preço.
  • Tempo que gasta na deslocação.

Imprimir Enviar por e-mail