Notícias

Bicicleta: conheça as restrições nos transportes públicos

13 outubro 2016 Arquivado
bicicletas nos transportes

13 outubro 2016 Arquivado
Das 7 empresas de transportes públicos que analisámos em Lisboa e no Porto, 6 permitem que os ciclistas transportem a bicicleta. A STCP, no Porto, autoriza apenas as bicicletas dobráveis. Conheça as regras para os horários e a lotação.

Início

Peões, condutores e ciclistas devem reger-se por uma grande dose de bom senso quando circulam na via pública. A mesma lógica aplica-se àqueles que levam a bicicleta nos transportes públicos. Não obstruir as portas da estação ou do meio de transporte nem dificultar a entrada ou a saída dos passageiros são regras básicas.

Mesmo assim, as empresas têm normas específicas, que têm vindo a melhorar em prol dos ciclistas. Analisámos os casos de Lisboa (Carris, CP, Fertagus, Transtejo e Metro) e do Porto (STCP e Metro). Quase todas as empresas permitem transportar a bicicleta, mediante algumas regras. A STCP autoriza apenas as bicicletas dobráveis.

Carris
A empresa tem um serviço específico para o transporte de bicicletas, o BikeBus. Abrange as carreiras 708, 723, 724, 725 e 731, é gratuito e funciona 7 dias por semana. Os horários estão disponíveis no site da Carris. Não há restrições para as bicicletas dobráveis.

Estas são as únicas carreiras que os ciclistas podem usar se quiserem levar a bicicleta normal para algum lado. Devem entrar pela porta de saída, fixar o velocípede numa das braçadeiras de velcro do autocarro e só depois validar o título de transporte.

A Carris disponibiliza aos ciclistas o serviço Bike Bus nas carreiras 708, 723, 724, 725 e 731.
A Carris disponibiliza aos ciclistas o serviço Bike Bus nas carreiras 708, 723, 724, 725 e 731.

Fertagus
O transporte da bicicleta é gratuito e permitido todos os dias da semana nos comboios que atravessam a Ponte 25 de Abril. Mas a Fertagus alerta que, se houver grande concentração de passageiros, os ciclistas devem esperar e respeitar as indicações dos seus colaboradores.

Esta empresa destaca-se por promover a “sexta de bicicleta”, da MUBI - Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta, que desafia a usar o velocípede uma vez por semana. É uma forma de, aos poucos, adotar um hábito saudável, económico e amigo do ambiente.

CP
O transporte da bicicleta nos comboios urbanos e regionais é gratuito. Cada ciclista só pode levar uma e deve usar as carruagens identificadas para o efeito.

Ao contrário das linhas urbanas, as regionais têm regras específicas. O operador de revisão deve emitir o bilhete e autorizar o transporte da bicicleta, que depende do espaço disponível e das dimensões do velocípede. Além disso, alguns percursos, dias de semana e horários têm restrições temporárias. Pode consultá-las no site da CP.

As linhas regionais da CP têm algumas restrições de percursos.
As linhas regionais da CP têm algumas restrições de percursos.

Transtejo
Nos barcos que ligam a margem sul a Lisboa, o transporte da bicicleta é gratuito. Mas o número de velocípedes que pode ir em cada embarcação depende da ligação e do horário. Os detalhes estão no site da Transtejo.

O mestre do navio pode impor outras restrições, caso as condições atmosféricas e a taxa de ocupação o justifiquem. A Transtejo também chama a atenção para algumas situações que os ciclistas devem evitar, como não prejudicar a entrada e a saída dos passageiros nem obstruir os acessos de emergência e salvação.

Na Transtejo, o número de bicicletas permitido em cada barco varia conforme o horário.
Na Transtejo, o número de bicicletas permitido em cada barco varia conforme o horário.

Metro de Lisboa
Deixaram de existir as restrições em vigor até 2013, quando os velocípedes só eram autorizados nos dias úteis a partir das 20 horas, aos fins de semana e feriados. Neste momento, nada é referido em relação a dias e horários.

A lotação deve limitar-se a 2 bicicletas por carruagem, desde que não haja aglomerações de passageiros.

O transporte da bicicleta é permitido, mas o Metro de Lisboa pede aos ciclistas para evitarem os horários de ponta.
O transporte da bicicleta é permitido, mas o Metro de Lisboa pede aos ciclistas para evitarem os horários de ponta.

STCP
Quem mora na cidade do Porto pode transportar a bicicleta dobrável nos autocarros e elétricos. Todas as outras bicicletas ficam de fora. A STCP justifica esta limitação com o facto de não reunir, atualmente, condições para o transporte de velocípedes normais

Metro do Porto
Pode levar a bicicleta no metro portuense de segunda-feira a sábado, nos intervalos entre as 10 e as 17 horas e as 19 e as 24 horas. Estas restrições horárias não se aplicam aos domingos e feriados. O acesso com velocípedes deve ser feito pela porta traseira do veículo.


Imprimir Enviar por e-mail