Dicas

Bicicleta elétrica: o veículo a motor mais económico

04 setembro 2015
Bicicletas elétricas: eficientes e amigas do ambiente.

04 setembro 2015

As bicicletas elétricas não conseguem emissões zero de carbono, mas podem ajudar a responder aos desafios da mobilidade e do aquecimento global. Equipadas com um motor elétrico, pedalar é menos cansativo.

A única emissão de CO2 destas bicicletas está relacionada com a eletricidade necessária para carregar a bateria. Não há emissões de partículas nem de outros gases poluentes.

Vêm equipadas com luzes, travões, descanso e mudanças. São mais pesadas do que os modelos tradicionais, por causa da bateria. Mas não deixam de ser confortáveis.

Pedalar é mais fácil
Com esta bicicleta, o esforço de pedalar é reduzido, porque a bateria dá uma ajuda. Alguns modelos incluem um mecanismo de assistência ao arranque, muito útil para quem faz percursos íngremes. Outros desencadeiam a energia após algumas pedaladas e, a partir daí, podem chegar aos 25 km/h. Uma boa ajuda se vai fazer trajetos longos.

As baterias podem ser carregadas em qualquer tomada. Quanto maior a capacidade de amperes-hora (Ah), maior é a autonomia. Mas esse fator varia consoante o modelo e o esforço associado à assistência durante o arranque e o percurso. Com um uso intensivo, pode andar cerca de 50 km.

A vida útil da bateria é de 500 ciclos de descarga/carga completa, o que equivale a 2 anos de utilização diária. No entanto, mesmo que a bicicleta não seja sempre usada, a bateria deve ser trocada a cada 4 anos.

Ecológica e confortável, a bicicleta elétrica pode ser parte da resposta para os problemas da mobilidade e do aquecimento global.
Ecológica e confortável, a bicicleta elétrica pode ser parte da resposta para os problemas da mobilidade e do aquecimento global.

Localização do motor
A área onde o motor está instalado não influencia o desempenho da bicicleta. Pode estar na roda dianteira, tratando-se do sistema mais simples e recorrente. Neste caso, a potência deve ser limitada, para que não haja derrapagens da roda, especialmente nas subidas (a maior parte do peso assenta na roda traseira). O utilizador tem de fazer o maior esforço.

Nalguns modelos, o motor está na roda traseira, o que reduz o risco de a bicicleta escorregar, mesmo em potência máxima. Mas este sistema tem um inconveniente: não permite mudar a velocidade em todos os momentos. Nas subidas o utilizador também tem de fazer um grande esforço.

Outra possibilidade é o motor estar instalado no suporte inferior da bicicleta. A energia é transmitida à roda através de uma corrente. Este sistema adapta-se com maior facilidade a cada situação e permite tirar o máximo partido do esforço criado pelo binómio ciclista/motor. Tem ainda a vantagem de, em caso de furo, ser mais simples trocar a roda.

Travagem elétrica
Alguns modelos combinam o motor com um travão elétrico. Desta forma, uma parte da energia produzida durante as travagens ou descidas é reenviada para a bateria, permitindo aumentar a autonomia da bicicleta.

Quanto custa
Regra geral, entre € 900 e € 1000, mas já encontra alguns modelos a € 550, aproximadamente. Nalgumas marcas, a fatura é mais alta: pode chegar aos 2 ou 3 mil euros. O custo de utilização vai de 8 a 20 cêntimos por quilómetro. Dentro dos veículos a motor, é o mais económico.

Antes de investir, pondere se vai usar a bicicleta todos os dias: é cara e deve ser guardada num local seguro, para evitar furtos.

Dicas para escolher

  • Compare vários modelos para confirmar se está confortável a andar na bicicleta, de que forma o seu corpo se adapta ao amortecimento e como o peso do equipamento influencia a sua estabilidade ao pedalar.
  • Analise os trajetos que vai fazer. Se forem percursos com inclinações, opte por uma bicicleta que dê maior assistência quando pedalar. Combine esse fator com a capacidade da bateria: os trajetos longos exigem uma boa autonomia.
  • Pondere se precisa de assistência no arranque. Nalguns modelos, o motor elétrico liga-se assim que deteta pressão nos pedais. É útil para quem vive em zonas de relevo acentuado.
  • Verifique se a loja garante o serviço pós-venda. Do ponto de vista técnico, uma bicicleta elétrica é mais complexa do que uma convencional. Por exemplo, se o motor estiver instalado numa das rodas, substituir um pneu furado pode ser mais difícil.