Primeiras impressões

VW e-up: já conduzimos o primeiro carro elétrico da marca

A VW de sempre, agora elétrica

A versão elétrica do VW up destaca-se com as luzes LED diurnas em forma de C e os refletores na porta traseira. A aerodinâmica foi otimizada. Ao nível da construção, ao contrário do VW up convencional, o modelo elétrico tem a parte inferior coberta, o que reduz o ruído da estrada. O carro apenas desilude nalguns painéis da mala sem proteção.

O VW e-up exibe detalhes únicos: faróis diurnos em C e novos refletores.
O VW e-up exibe detalhes únicos: faróis diurnos em C e novos refletores.
As longas viagens com o VW e-up estão comprometidas, dada à autonomia limitada. Consoante o sistema de carga, pode demorar até 9 horas no pior cenário. Instalada ao longo do piso do carro, a pequena bateria de iões de lítio de 18,7 kWh confere-lhe uma autonomia de 165 quilómetros. O nível de carga e o tempo de carregamento em falta são exibidos no painel. Pode aceder à informação e regular o ar condicionado à distância através de uma aplicação de telemóvel, o Car Net. Esta permite verificar o estado da bateria, a autonomia e até se há portas abertas ou faróis ligados.
O VW e-up consome, em média, 13,8 kWh de energia aos 100 quilómetros.
O VW e-up consome, em média, 13,8 kWh de energia aos 100 quilómetros.

Com um motor elétrico de 82 cavalos, o VW e-up destaca-se pelo excelente desempenho. Ao carregar no acelerador, tem o binário máximo disponível a todas as rotações, ou seja, o VW e-up é capaz de proporcionar sempre um arranque forte. Além do modo standard de condução, pode contar com o Eco e o Eco+. O primeiro aumenta a autonomia ao reduzir a potência e o desempenho do ar condicionado. O segundo ajusta o sistema eletrónico a favor da máxima eficiência. Neste modo, não consegue ultrapassar os 90 km/h.

A regeneração de energia da travagem é inovadora. Na posição drive, pode mover a alavanca da caixa ao longo de 3 modos, cada um com o respetivo nível de intensidade da regeneração de energia. Em média, o VW e-up consome uns notáveis 13,8 kWh de energia aos 100 km em percursos mistos. No pior caso, com eletricidade no mercado livre, paga € 2,60 aos 100 quilómetros.