Primeiras impressões

Opel Ampera: revolução elétrica em marcha

14 fevereiro 2014 Arquivado

Arquivado

No Opel Ampera, o motor a gasolina faz de extensor de autonomia do motor elétrico, a sua força principal. Acaba-se o receio de ficar parado e a poupança seduz. Revelamos os pontos fortes e fracos após a primeira viagem.

Visibilidade mínima

A visibilidade garante os mínimos. A câmara traseira e os sensores de estacionamento, à frente e atrás, são bem-vindos como opção (custam 700 euros). No espelho retrovisor interior, a visibilidade não satisfaz.

Com largura interior generosa, à frente, o Opel Ampera recebe condutor e passageiro até 1,95 m com bancos ajustáveis em altura. A enorme consola central limita a sensação de espaço. Atrás, podem viajar 2 passageiros até 1,80 m.

Colocada sob a parte traseira da carroçaria, a bateria limita a capacidade da bagageira e o espaço dos passageiros atrás. Com 2 bancos traseiros individuais, o Opel Ampera tem a lotação reduzida a 4 lugares.

Visibilidade fraca e espaço comprometido atrás.
Visibilidade fraca e espaço comprometido atrás.