Primeiras impressões

Opel Ampera: revolução elétrica em marcha

14 fevereiro 2014 Arquivado

Arquivado

No Opel Ampera, o motor a gasolina faz de extensor de autonomia do motor elétrico, a sua força principal. Acaba-se o receio de ficar parado e a poupança seduz. Revelamos os pontos fortes e fracos após a primeira viagem.

Versão em teste

Versão em teste
  • Opel Ampera
  • 150 cavalos, 1398 cc
  • Bagageira com bancos no sítio e rebatidos, respetivamente 270 e 595 litros
  • Consumo nos primeiros 100 quilómetros: 12,2 kWh (equivalente a € 1,24 bi-horária em vazio) e 1,4 litros de gasolina
  • Custo por quilómetro de € 0,38
  • Preço € 38 300

Pontos fortes

  • Suspensão
  • Desempenho do motor e caixa de velocidades
  • Boa autonomia: conduzido com moderação e apoiado pelo motor a gasolina como extensor de autonomia, pode viajar 710 km sem recarregar a bateria
  • Eficiente nos consumos

Pontos fracos

  • Consola central sobrecarregada de comandos
  • Fraca visibilidade atrás
  • 4 lugares (só 2 atrás)
  • Bagageira pequena
  • Preço muito elevado