Primeiras impressões

Opel Ampera: revolução elétrica em marcha

14 fevereiro 2014 Arquivado

Arquivado

No Opel Ampera, o motor a gasolina faz de extensor de autonomia do motor elétrico, a sua força principal. Acaba-se o receio de ficar parado e a poupança seduz. Revelamos os pontos fortes e fracos após a primeira viagem.

Baterias sem medo

As baterias carregadas garantem uma autonomia de 40 a 80 km sem queimar combustível com um consumo de 17,4 kWh/100 quilómetros. Quando as baterias atingem o nível mínimo, o motor de combustão do Opel Ampera desperta e passa a gastar 5,5 litros de gasolina aos 100 km em percursos mistos.

O Opel Ampera apresenta o motor elétrico como a sua força principal. O motor a gasolina só entra em ação para recarregar as baterias: funciona como um gerador de emergência para aumentar a autonomia. O sistema combina baterias de iões de lítio com a unidade térmica.

O Opel Ampera elimina a preocupação com o posto de abastecimento elétrico mais perto. Recarregar as baterias é uma tarefa simples, sobretudo se o “alimentar” na tomada da garagem. Num posto de rua, precisa do adaptador ligado ao cabo.

Pode carregar em qualquer tomada sem adaptador até 4 a 6 horas.
Pode carregar em qualquer tomada sem adaptador até 4 a 6 horas.
O Opel Ampera traz o cabo e o adaptador na bagageira.
O Opel Ampera traz o cabo e o adaptador na bagageira.