Notícias

Salão automóvel de Genebra: o carro do ano 2015 e mais de 100 estreias

02 março 2015 Arquivado
Salão de Genebra 2015

02 março 2015 Arquivado

Estamos no salão automóvel de Genebra, na Suíça, para conhecer ao vivo e partilhar as novidades em primeira mão. Na véspera da abertura, o Volkswagen Passat foi eleito o carro do ano. Levou a melhor sobre os outros seis finalistas.

Renault Twingo

Em 1993, nasceu o Renault Twingo, um pequeno carro que se transformou no fenómeno da cidade.

É o mais acessível de todos, a partir de 11 950 euros.
É o mais acessível de todos, a partir de 11 950 euros.

Chega agora à 3.ª geração com 5 portas. Traz o motor atrás e apenas a bateria à frente. Esta fórmula é o resultado da parceria com a Daimler para desenvolver os novos Smart fortwo e forfour, mas prejudica o nível de ruído interior. A insonorização é pouco eficaz. O corpo é menos comprido. Ambiciona ser o último grito de sofisticação na estrada e quer seduzir pelo equipamento e decorações personalizadas.

Com tração traseira, a 3.ª geração do Renault Twingo é uma proposta quase única. Com 5 anos de garantia e um preço a partir dos € 11 950, pretende ser a nova moda na cidade. O motor mais acessível com 70 cavalos custa 11950 euros. Se preferir a versão Sport com 90 cavalos, o preço dispara para 14450 euros.

Exceto o nome, o novo pretendente a rei da cidade não herdou nada das duas primeiras gerações. Partilha a plataforma de base com o Smart e é 9 cm mais curto do que o antecessor. Agora com portas traseiras, o acesso é mais simples. A grande diferença é o sistema de condução: com o motor atrás, o Renault Twingo é muito ágil devido ao pequeno diâmetro de viragem (9 metros). Um ponto fraco mora na bagageira, que foi a principal vítima desta renovação. Oferece apenas 160 l de capacidade, menos 50 l do que a geração anterior. 

Nos prós, destacamos a visibilidade muito boa, o diâmetro de viragem muito reduzido e o espaço à frente, bem como o desempenho seguro na estrada. Não gostámos do ruído interior elevado, do espaço muito apertado atrás e da falta de zonas de arrumação atrás. O banco do condutor não é ajustável em altura. A concorrência despertou e começa a deixar marcas. Entre os principais rivais, destacam-se os trigémeos Peugeot 108, Citroën C1 e Toyota Aygo, o Seat Mii, o Opel Adam e o Volkswagen Up.