Notícias

Poupámos mais de 4 mil euros na compra de carro novo

10 novembro 2016
negociar carro novo

10 novembro 2016
Conseguir carro novo ao melhor preço não é uma missão impossível. Vestimos a pele do consumidor anónimo e fomos às compras. Com uma boa dose de insistência e várias visitas a concessionários pode poupar mais de 4300 euros.

Início

Ter carro representa um grande encargo. Além do preço de compra, que atinge valores mais elevados se for novo, terá despesas com combustível, seguro obrigatório, Imposto Único de Circulação, manutenção e eventuais reparações. Se precisa de ajuda, siga o nosso teste a mais de 270 automóveis.

 

Negociar garante 5 a 16% de desconto. Poupe milhares de euros. 
Negociar garante 5 a 16% de desconto. Poupe milhares de euros.

Segundo a ACAP, Associação Automóvel de Portugal, as vendas de automóveis novos atingiram o valor mais baixo dos últimos anos em 2012. Mas têm vindo a crescer, sempre ao ritmo de dois dígitos face ao ano anterior. Os portugueses estão a encontrar no orçamento a disponibilidade para dar este passo. Investigámos os descontos e quanto pode poupar se pedir propostas e negociar com diferentes concessionários. Analisámos as vendas de ligeiros de passageiros. Descobrimos que Renault, Peugeot e Volkswagen têm liderado. Quando fomos para o terreno ver os descontos e como é que se conseguem alcançar, a escolha recaiu em modelos destas marcas. Munidos dos carros de eleição, avançámos para o jogo. De um lado, os vendedores dos concessionários; do outro, o nosso cliente mistério, pronto a obter o melhor preço.

Veja os cuidados a seguir se optar por um carro usado.

Negociar garante de 5 a 16%

Além da pintura metalizada, o preço indicado inclui o IUC do primeiro ano. Em média, pode poupar € 2500 por concessionário. A poupança máxima é a diferença entre o preço de tabela sem o desconto mais elevado que nos indicaram e o preço final mais baixo que conseguimos arrancar nos standes visitados.

Volkswagen Polo

1.4 TDI Trendline, 5p, 75 cv, 88 CO2, Prata Reflex

Top 3 mais baratos
€ 18 492,12, em Gavis, Magarenha, R. do Alto do Seixo, Fragosela de Cima, Viseu 
€ 18 642,12, em Soauto Rolporto, R. Eng.º Ferreira Dias, Porto 
€ 19 028, em Soauto, Olival Quinta Nova, R. Funchal, Fanqueiro, Loures 

Top 3 mais caros
€ 20 625,73, em Caetano Drive, R. de S. Francisco, Adroana, Cascais 
€ 20 783,04, em Tecnitagus, R. Joaquim P. Jorge, Feijó, Almada
€ 20 900, em Car W, Zona Industrial, Castelo Branco 

Peugeot 208

1.6 HDI Style, 5p, 75 cv, 90 CO2, Cinzento Aluminium

Top 3 mais baratos
€ 17 967,61, em Lisboa Oriente, Av. Inf. D. Henrique, Lisboa
€ 17 967,61, em MCoutinho, Est. Ext. Circunvalação, Rio Tinto, Gondomar 
€ 18 372,52, em  Santogal A. Real, Alto da Bela vista, Cacém, Sintra 

Top 3 mais caros

€ 18 967,60, em Automóveis do Mondego, Antanhol, Coimbra 
€ 19 467,60, em Motorex, R. D. Afonso III, Beja 
€ 19 467,61, em Automóveis do Mondego, Parque Industrial, Castelo Branco 

Renault Clio

1.5 dCi Limited, 5p, 90 cv, S&S ECO2, Cinzento Platina

Top 3 mais baratos
€ 18 742,12, em Renault Gondomar, Av. Associação Com. e Ind. de Gondomar 
€ 18 940,41, em Vesauto, Av. Marconi, Casal de Alfragide, Amadora 
€ 19 197,80, em Renault Telheiras, Av. Prof. Francisco G. Caeiro, Lisboa 

Top 3 mais caros
€ 19 642,12, em Litocar, Av. Fortes da Gama, Fragosela, Viseu 
€ 19 668,76, em Auto Chico, R. Eça de Queirós, Pampilheira, Cascais 
€ 20 113,67, em Litocar, Zona Industrial, Castelo Branco 

Esgrimir argumentos

Dois standes “viraram a cara à luta”, não apresentado propostas, nem verbalmente, nem por escrito: Motorex, em Portalegre (Peugeot), e Luzias Car, em Beja (Volkswagen). Os restantes 43 avançaram com propostas por escrito. Alguns não respeitaram os requisitos básicos. Os casos mais graves foram os do Litocar, em Viseu; Unimotor, em Vila Nova de Gaia; Renault Gondomar (todos Renault), e da Car W (Volkswagen). Os dois primeiros apresentaram a proposta numa folha de papel sem identificar o concessionário nem o vendedor, sem data nem prazo de validade. À proposta do Litocar faltava também o preço de base do veículo e a discriminação do valor das despesas administrativas e dos impostos a pagar (ISV e IVA). Nos dois últimos concessionários, a proposta tomou a forma de um e-mail enviado pelo vendedor, que referia o preço total para o veículo desejado, sem indicar o preço de base, nem discriminar parcelas ou indicar o valor da redução.

O primeiro trunfo é a oferta de um desconto: 42 dos 43 concessionários jogaram esta cartada na visita inaugural e sem ser necessária insistência. Na segunda visita e noutros contactos posteriores, apenas 17 concessionários voltaram a usar o trunfo, baixando mais o preço. O esforço compensou. Em média, conseguimos descontos de 11,5% face ao preço inicial indicado, o que se traduz numa poupança média por concessionário de mais de 2500 euros. O desconto médio mais elevado incidiu sobre o Peugeot 208. Nos concessionários Renault encontrámos o desconto médio mais baixo, embora a diferença não seja muito significativa quando comparada com o valor médio dos concessionários Volkswagen.

Jogadas alternativas

Na mão dos vendedores estão outros trunfos, como o financiamento ou a retoma do carro usado. Explicámos que só queríamos equipamento de série durante as negociações, mas colocaram muitas vezes em cima da mesa propostas com equipamento extra. Mais de metade dos vendedores dos concessionários Peugeot e Renault propuseram que, além da pintura metalizada pedida, adquiríssemos opções não desejadas. Nos concessionários Volkswagen, tal só aconteceu pontualmente. Um argumento muito ouvido foi o da valorização do carro para uma futura venda. Todos os vendedores que apresentaram este tipo de propostas referiram que os extras sugeridos não eram obrigatórios e nunca propuseram a oferta de extras ou serviços gratuitos ao invés de uma redução no preço.

Em 31 concessionários foi jogado o trunfo do financiamento. A pedido, a maioria deu uma simulação, mas apenas dois forneceram a ficha de informação normalizada por sua iniciativa. Questionados sobre se a opção por um financiamento daria lugar a alguma alteração das condições de venda, os únicos a responder afirmativamente foram os concessionários Renault: 13 dos 14 que apresentaram soluções de crédito ofereceram um desconto adicional de € 1000 a 1400 euros. Crédito, ALD ou leasing, veja as melhores soluções de financiamento

A retoma do veículo usado foi outra cartada usada para garantir a venda. Dos 43 concessionários que nos endereçaram propostas, apenas 17 prometeram um desconto adicional sobre o preço final negociado para o carro novo caso tivéssemos um veículo para retoma. Este desconto variou entre € 100 e mais de € 1000, sendo mais comum entre os concessionários Peugeot.

Todos os vendedores mencionaram a necessidade de avaliar o carro a retomar, mas 23, depois de algumas questões, aceitaram avançar com uma estimativa de valor entre cerca de 1500 e 3000 euros. Pondere se pretende incluir o usado no negócio e explore outras vias para garantir o melhor preço, como consultar standes de usados ou a venda a um particular.

Não é preciso ser um especialista, nem um ás da negociação para conseguir um bom desconto. Basta uma ligação à internet, para saber o preço recomendado da marca, e visitar os concessionários da zona, negociando o preço e pedindo propostas escritas e discriminadas. Contactar concessionários de outras zonas também é aconselhável.

Ter várias propostas é uma boa arma para conseguir uma redução adicional. Foi frequente os vendedores referirem que, se conseguíssemos uma proposta melhor e a apresentássemos, tentariam batê-la. Depois é paciência e persistência. Ao insistir num desconto, conseguimos que 18 em 43 concessionários melhorassem o preço face à proposta feita na primeira visita e garantimos descontos entre 5% e 16% sobre os preços de tabela.