Notícias

Os carros mais fiáveis para mais de 52 mil condutores

Lexus é a campeã da fiabilidade das 36 marcas para as quais obtivemos resultados, com base em respostas para 62 090 automóveis.

07 fevereiro 2022 Exclusivo
mecânico a preencher folha com capô do carro aberto

iStock

Para calcular o índice de fiabilidade, contabilizámos as visitas à oficina indicadas pelos mais de 52 mil condutores que responderam ao nosso inquérito, sem considerar as necessárias para a manutenção regular do veículo, nem arranjos devidos a algum acidente. Quanto maior a quantidade e a gravidade das avarias, pior o índice de fiabilidade.

Avarias em 36 marcas

A Lexus mantém-se na primeira posição do ranking da fiabilidade, marca que atingiu em 2018 e manteve em 2020. Já a Porsche, segunda em 2018, surge agora na 27.ª posição, com quatro estrelas. A Toyota mantém-se nos lugares cimeiros, como tem sido apanágio ao longo dos 18 anos em que publicamos este ranking.

 

Avarias determinam fiabilidade do carro

As avarias mais comuns, apontadas em 17% dos veículos abrangidos, verificaram-se no equipamento elétrico (excluindo o motor), que inclui as luzes, o fecho centralizado das portas e o sistema limpa-vidros, entre outros. As marcas Alfa Romeo, Chevrolet, Citroën, Fiat, Lancia, Nissan, Opel, Renault, Seat e Volkswagen foram as que revelaram uma maior incidência de falhas nesta área. O sistema de travagem foi o segundo com mais problemas, reportado em 13% das viaturas. Por se tratar de uma falha que pode ameaçar a vida dos ocupantes, tem mais peso na nossa análise. As marcas que revelaram mais problemas nos travões foram Alfa Romeo, Chevrolet, Citroën, Fiat, Ford, Lancia, Mercedes, Mini, Opel e Volvo. 

Também importantes para determinar a fiabilidade de um veículo são os problemas no motor (tanto nos de combustão como nos elétricos), no sistema de alimentação (no caso dos modelos a combustão), nas baterias de tração (nos elétricos) e nos equipamentos de segurança ativa. Os motores de combustão registaram 8% de avarias, com as marcas Alfa Romeo, Audi, Chevrolet, Citroën, Fiat, Ford, Lancia, Land Rover, Opel, Renault e Volvo a verem apontados mais problemas do que a média. As avarias nos motores elétricos foram referidas em 2% dos modelos híbridos e elétricos, com a BMW, a Citroën e a Tesla a registarem uma maior incidência de falhas. As baterias de tração dos motores elétricos avariaram em 4% dos veículos, com a Ford a superar a média. Ao equipamento de segurança ativa foram apontadas 2% de falhas, sendo que a Audi, a Jeep e a Nissan revelaram mais problemas do que as restantes marcas.

Resultados para 523 versões de automóveis 

Para não penalizar os automóveis mais antigos ou que percorrem mais quilómetros, no cálculo do índice de fiabilidade, considerámos a idade e o número total de quilómetros. Por termos este cuidado, é possível encontrar versões novas e mais antigas tanto no topo, como no final da classificação. Por exemplo, o SUV Toyota RAV-4 2500 híbrido, vendido entre 2013 e 2018, é um dos modelos mais fiáveis. Já o Renault Espace 1600 e o Opel Astra 1500, ambos a gasóleo e nos standes desde 2015, são as duas versões menos fiáveis do nosso estudo, com apenas duas estrelas. O Volvo V50 1600 a gasóleo (vendido entre 2007 e 2012) é a terceira versão com apenas duas estrelas na fiabilidade.

Reunimos as melhores e as piores versões de quatro categorias: citadinos e utilitários, familiares, MPV (veículos de utilização múltipla) e SUV (veículos utilitários desportivos). Em cada uma, apresentamos as dez versões mais fiáveis e as cinco que registaram maior quantidade de avarias. Identificamos os automóveis através de marca, modelo, cilindrada, tipo de combustível e ano de início e final de comercialização. A cilindrada refere-se à que consta dos documentos e não à presente no nome do veículo.

Citadinos e utilitários

Os citadinos, mais pequenos, são fáceis de manobrar e de estacionar nas cidades. Os utilitários, por serem maiores, têm mais espaço interior e na bagageira.

 

 Familiares

Estes modelos têm mais espaço interior e de bagageira, sendo uma opção quando a família começa a crescer ou para garantir conforto em viagens mais longas.

 

MPV

Os modelos de utilização múltipla (ou MPV) são muito versáteis, em parte por terem bancos rebatíveis ou amovíveis, e bastante espaço de arrumação. 

 

SUV

Espaço e facilidade de condução, tanto em cidade como em estradas secundárias, são os principais atributos de um veículo utilitário desportivo (conhecido como SUV). 

Como fizemos o estudo

Em maio de 2021, enviámos um questionário para uma amostra aleatória de subscritores das nossas revistas e para portugueses em geral. Para obter o máximo de resultados, o inquérito é realizado em conjunto com as associações nossas congéneres de Espanha, França, Itália e Bélgica. No total dos cinco países, obtivemos 52 430 respostas, das quais 5606 de Portugal. Para aumentar o número de versões avaliadas, os inquiridos podiam preencher o questionário com dados referentes a dois automóveis. Conseguimos reunir informação referente a 62 090 experiências, obtendo dados para 523 versões e para 36 marcas.

As conclusões sobre as características dos automóveis, como a fiabilidade ou a satisfação, foram tratadas em conjunto nos cinco países. Quanto à informação apresentada sobre comportamentos, refere-se apenas aos portugueses que nos responderam.

Os resultados espelham as opiniões e as experiências dos participantes no estudo.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.