Notícias

Lavagem manual de carros em self-service precisa de regulação

22 julho 2016
Analisámos 50 centros de lavagem manual self-service, onde pode lavar o carro por valores a partir de 50 cêntimos. Conheça os mais baratos, os mais caros e os mais incumpridores.

22 julho 2016

Analisámos 50 centros de lavagem manual self-service, onde, por valores desde 50 cêntimos, pode deixar o carro a brilhar. Conheça os locais mais baratos, os mais caros e os que falham em aspetos como os tempos de lavagem e a emissão de recibo.

Início

Lavar o carro é para muitos um ritual regular indispensável. Há quem escolha a rua para fazê-lo, possivelmente por desconhecer que é uma prática proibida e punível com coima em muitos municípios.

Se quer ver o automóvel a brilhar, lave-o dentro da sua propriedade, em centros de lavagem automática ou centros com sistemas manuais de lavagem a alta pressão, como os 50 que visitámos para este estudo. Muitos preferem estes centros porque gastam menos dinheiro. Neles, o consumidor só tem de colocar moedas (o mínimo aceite é € 0,50 ou € 1, consoante os centros) ou fichas e usar a mangueira disponível.

Uma vez que a lavagem nos centros self-service implica usar um equipamento com temporizador, verificámos se os tempos de lavagem correspondem aos anunciados. A visita e análise aos 50 locais, situados nos distritos de Lisboa, Porto e Faro, ficou a cargo de um laboratório habilitado. As principais falhas detetadas incluíram:
  • falta de informação sobre os tempos de lavagem;
  • equipamentos que não respeitam a duração anunciada (embora tanto possam beneficiar como prejudicar o consumidor);
  • impossibilidade de obter ou recusa em ceder um recibo do montante gasto na lavagem;
  • fugas de água nas mangueiras.
Conheça ao pormenor as características do teste e os locais onde verificámos as situações menos vantajosas (algumas ilegais) para o consumidor.