Notícias

Honda CR-V: novo motor, bagageira exemplar e segurança máxima

24 outubro 2013 Arquivado

Arquivado

O Honda CR-V é competente, seguro, espaçoso e confortável para viagens longas. A bagageira é uma referência entre os SUVs.

Bom desempenho

Depois de um arranque a frio, o motor a gasóleo faz-se ouvir, mas nunca incomoda. Nas operações habituais, o motor de 4 cilindros é suave e uma companhia agradável para longas viagens. Medimos 68 decibéis em velocidades elevadas, um registo baixo para o ruído interior, como desejável.

Apenas notámos vibração no volante em aceleração com rotações baixas, mas sem incomodar. A 100 km/h, o Honda CR-V precisa de 36,8 metros até ficar totalmente imobilizado.

Com 150 cavalos, o motor de 2.2 litros a gasóleo revela bom desempenho e potência para todos os objetivos ao volante. É bastante flexível na 4.ª e 5.ª velocidades e porta-se bem na 6.ª mudança. Precisa apenas de 6 segundos para fazer as recuperações dos 60 aos 100 km/h. Fácil de usar, a caixa de 6 velocidades é precisa e faz uma boa combinação com o motor. Acusou uma ligeira resistência antes de cada mudança.

A direção é eficaz e rápida em velocidades elevadas, sem obrigar a grande esforço nas manobras. Mas o diâmetro de viragem deixou um pouco a desejar (11,7 metros) e faltou-nos mais contacto com a estrada.

Em matéria de consumos, o Honda CR-V gasta em média 6,4 litros de gasóleo aos 100 quilómetros. Nos trajetos em cidade, medimos 6,9 l/100 km mesmo com o start/stop ativo. Ainda assim, o depósito de 58 litros garante-lhe uma autonomia de 900 quilómetros.