Notícias

Fraude Volkswagen: Polo e Golf chumbam teste após intervenção técnica

11 abril 2017
Escândalo Volkswagen: quero justiça

11 abril 2017
Verificámos um aumento das emissões de azoto em dois carros submetidos à intervenção decorrente do caso Volkswagen. Exigimos uma indemnização para os consumidores. Junte-se à ação "Quero justiça".

Para saber se a Volkswagen está a corrigir o mecanismo fraudulento e a reduzir as emissões de óxido de azoto (Nox) sem alterar os consumos e o desempenho dos carros, testámos um Volkswagen Polo TDI 1.2 e um Volkswagen Golf TDI 1.6. Antes e após a intervenção da marca, os nossos especialistas mediram, em laboratório e estrada, os níveis das emissões de óxido de azoto.

Ao saírem das oficinas Volkswagen, as emissões aumentaram 6,3% no Polo e 23,2% no Golf. Em 2016, realizámos o mesmo teste a um Audi Q5 TDI 2.0  e denunciámos um acréscimo de 13,3% nas emissões. Os dois testes foram realizados juntamente com as nossas congéneres Altroconsumo (Itália), OCU (Espanha) e Test-Achats (Bélgica). 

Continuamos à espera de que a Volkswagen ou as autoridades dos vários países europeus comprovem a eficácia da intervenção técnica, entretanto homologada pela autoridade alemã KBA, e justifiquem a sua obrigatoriedade, dada a sua aparente ineficácia. 

 

 

Dada a ausência de respostas eficazes para os consumidores afetados pelas emissões fraudulentas, lançámos a ação "Quero justiça", em conjunto com a Altroconsumo, OCU e Test-Achats. Exigimos que os consumidores europeus enganados pela Volkswagem sejam compensados financeiramente, a exemplo do que a marca fez com os consumidores americanos. Já avançámos com um processo judicial nesse sentido. Defendemos ainda a urgente reavaliação da intervenção técnica feita aos automóveis. A solução deve garantir uma real diminuição das emissões de óxido de azoto.

Junte-se à ação "Quero justiça"

 


Imprimir Enviar por e-mail