Notícias

Escândalo Volkswagen: consumidores exigem solução

Suspeitas confirmadas

Agora todos os olhos estão sobre a Volkswagen, mas o BEUC, Organização Europeia dos Consumidores, da qual a DECO faz parte, já há algum tempo suspeitava de manipulação de dados das marcas. Há um ano, os nossos colegas italianos da Altroconsumo demonstraram que o Volkswagen Golf 1.6 TDI Bluemotion consumia 5,8 litros por cada 100 quilómetros, em vez dos 3,8 litros que anunciava o fabricante. Para medir o consumo de um automóvel o que se faz é medir as emissões poluentes (ambos estão relacionados).

Mas não é só a Volkswagen que induz em erro o consumidor. Há vários anos que a DECO realiza os seus testes independentemente e não se apoia apenas nos dados das marcas para as avaliações. Estes mesmos testes a automóveis demonstram, de forma consistente, que o consumo real é muito superior aos números oficiais anunciados pelas marcas. Na verdade, os modelos consomem mais 18 a 50% de combustível do que declaram.

Tal parece demonstrar que os construtores exploram as falhas nos procedimentos de teste para enganar o consumidor, o que, na opinião do BEUC, torna obsoleto o atual protocolo (NEDC) e obriga à imediata introdução do novo procedimento de testes (WLTP), que deverá estar operacional em 2017. Mas não é tudo.

Monique Goyens, diretora-geral do BEUC, exigiu em comunicado uma entidade independente para supervisionar os testes de homologação, bem como uma investigação da Comissão Europeia ao uso destes defeat devices, para garantir que nenhum outro construtor europeu utiliza este tipo de fraude. Ao mesmo tempo, considera “essencial que a UE trabalhe no desenvolvimento de um programa de testes em estrada, para dispensar os testes em laboratório. Os programas de teste da UE estão há muito obsoletos e os consumidores desesperam por um sistema melhor”.