Notícias

DECO pressiona por resolução da fraude Volkswagen

28 outubro 2016
vw crise video

28 outubro 2016
Depois de tentarmos o diálogo, consideramos que se esgotou o tempo razoável de espera para os consumidores portugueses. A DECO avança com um processo judicial contra o fabricante alemão.

A DECO avançou com um processo judicial contra o fabricante alemão, a SIVA, a SEAT e a Volkswagen espanhola tentando, por esta via, que os consumidores afetados sejam compensados. Assim que for possível, divulgaremos mais informações relacionadas com este processo.

Um ano depois de se tornar pública a manipulação fraudulenta de emissões, a SIVA – importador português das marcas Volkswagen, Audi e Skoda – reconhece que cerca de 50 mil carros continuam à espera da intervenção técnica que, alegadamente, servirá para corrigir o problema. No entanto, a SIVA reconhece que não faz ideia de quanto tempo mais vai precisar para corrigir o problema em Portugal.

Realizámos um teste que comprova a ineficácia da intervenção em curso – as emissões acima dos valores permitidos não foram corrigidas.

A DECO, além de várias intervenções públicas, já questionou diretamente o Governo. Ao Ministério do Ambiente colocámos a questão do excesso de emissões decorrente da fraude, a necessidade de investigar a sua dimensão, impacto e definição de posteriores medidas sancionatória.

Interpelámos ainda o Ministério da Economia sobre a eficácia do grupo de trabalho (cuja integração nos foi negada) e o estádio da realização das tarefas anunciadas no relatório preliminar.

Acompanhámos os contactos realizados pela Federação Europeia das Associações de Consumidores (BEUC) que tentou sensibilizar a Volkswagen para a necessidade de promover a igualdade de tratamento entre todos os consumidores europeus e norte-americanos. Nos Estados Unidos da América, o construtor alemão prepara-se para pagar cerca de 14 mil milhões de dólares em compensações. Desses, 10 mil milhões serão para a indemnização direta dos proprietários afetados, enquanto, na Europa, a Volkswagen continua a negar o pagamento de qualquer verba.