Notícias

Citroën C4 Cactus: o lado prático do estilo

30 junho 2015 Arquivado
Citroën C4 Cactus

30 junho 2015 Arquivado

O Citroën C4 Cactus promete fazer história com os airbumps. Estas almofadas de ar ajudam a poupar em reparações. O espaço abunda e a condução é segura. Únicos contras: a falta de versatilidade atrás e o treino para operar o ecrã tátil. Custa desde 16 mil euros.

Rivais e segurança na mira

Entre os rivais do Citroën C4 Cactus, destacamos o Opel Mokka, o Peugeot 2008, o Renault Captur, o Dacia Duster e o Skoda Yeti. Se continuar na indecisão, desafie-nos para uma experiência de viagem na sua companhia.

Este ano, o EuroNCAP introduziu novos parâmetros e está mais exigente. Entre os novos requisitos para atingir as 5 estrelas de nota máxima está, por exemplo, o sistema de travagem de emergência para cidade. O quarto e último parâmetro dos testes, denominado “assistências de segurança”, ganha mais peso na conta final. O Citroën C4 Cactus não conseguiu mais do que 4 estrelas: recebeu as pontuações de 82%, 79% e 80% ao nível dos ocupantes adultos, crianças e peões. Mas nos auxílios para o condutor o automóvel francês deixa muito a desejar ao conseguir apenas 56 por cento.

O Citroën C4 Cactus ficou-se pelas 4 estrelas no teste de colisão.
O Citroën C4 Cactus ficou-se pelas 4 estrelas no teste de colisão.
Ocupantes adultos

Habitáculo estável no choque frontal e boa proteção ao nível dos joelhos e fémur do condutor e passageiro. No teste da colisão lateral, todas as zonas críticas do corpo estavam bem protegidas, exceto no peito. No teste mais exigente do poste, oferece uma boa proteção da cabeça, abdómen e pélvis. Mas o peito volta a ficar demasiado exposto, sendo a proteção marginal.

Crianças
No impacto frontal, o movimento para a frente do manequim de 3 anos, sentado num sistema de retenção virado para a frente, não foi excessivo. Mas a pressão no pescoço e no peito já são consideráveis. No caso do manequim de 18 meses, a proteção da cabeça é mínima. No choque lateral, os dois manequins ficaram devidamente presos pelos cintos das cadeiras, minimizando o risco de contacto com partes do interior do carro. O airbag do passageiro pode ser desativado para permitir o uso de uma cadeira voltada para a retaguarda. A informação é clara.

Peões e assistência à segurança
O para-choques conseguiu a pontuação máxima. O mesmo se aplica à frente do capô. Já para a cabeça dos peões o capô exibe resultados mistos nas áreas de embate. Falha sobretudo nos pilares e na base do limpa para-brisas.

O controlo eletrónico de estabilidade faz parte do equipamento de série. O Citroën C4 Cactus inclui aviso para colocar o cinto de segurança nos bancos frontais e nos bancos traseiros.