Notícias

Citroën C4 Cactus: o lado prático do estilo

30 junho 2015 Arquivado
Citroën C4 Cactus

30 junho 2015 Arquivado

O Citroën C4 Cactus promete fazer história com os airbumps. Estas almofadas de ar ajudam a poupar em reparações. O espaço abunda e a condução é segura. Únicos contras: a falta de versatilidade atrás e o treino para operar o ecrã tátil. Custa desde 16 mil euros.

Ecrã tátil distrai

O interior é agradável e dominado pelas linhas horizontais do painel de bordo com muito espaço e ótima arrumação. Os clássicos botões de controlo foram substituídos por um ecrã tátil de 7 polegadas. A ideia é facilitar a vida ao condutor. Mas o painel de instrumentos não indica as rotações por minuto.
Para o condutor, o Citroën C4 Cactus reserva uma interface 100% digital.
Para o condutor, o Citroën C4 Cactus reserva uma interface 100% digital.

De série, o ecrã tátil agrupa todas as funções: climatização, multimédia (rádio, aparelhos nómadas e fotografias), navegação (limites de velocidade, condições), ajudas à condução, telefone (mãos livres, lista de contactos, gestão da dupla chamada), serviços conectados (portal da marca) e regulação dos parâmetros.

A marca promete um sistema intuitivo, mas os comandos táteis obrigam a uma elevada precisão. Os menus exigem muito treino até dominar as operações e podem distrair o condutor do essencial, a estrada.

A alavanca da caixa é ergonómica. Pena que tenha sido colocada demasiado em baixo. E o volante apenas pode ser regulado em altura. À frente, ninguém se pode queixar da falta de espaço. O habitáculo oferece a altura suficiente para ocupantes até 2 metros. Já os passageiros atrás não tiveram a mesma sorte. Apenas pode dar boleia a amigos até 1,85 m. Os pilares são uma ameaça para a cabeça.

A bagageira tem capacidade para 320 litros, mas é pouco versátil.
A bagageira tem capacidade para 320 litros, mas é pouco versátil.

Na mala do Citroën C4 Cactus, cabem 320 l ou 400 l de carga, se remover a chapeleira. Com os bancos rebatidos, a capacidade quase duplica: aumenta para 605 litros. Se precisar de um pronto-socorro para uma mudança pontual, pode encher a mala até ao teto com 975 litros.

A porta da mala é fácil de abrir e fechar. Os objetos são fáceis de alcançar. Mas o piso de carga mora a 78 cm da estrada, o que obriga a um esforço considerável ao carregar a bagageira. Ao rebater o banco traseiro, o piso da mala não fica plano.

Para rebater o banco traseiro, temos de operar os comandos em ambos os lados ao mesmo tempo. Ao regressar à posição inicial, pode estragar os cintos de segurança. Na mala não conta com muitas zonas de arrumação para pequenos objetos. Só o pode fazer num pequeno alçapão de 20 litros.

O banco apenas rebate por inteiro, como uma peça única.
O banco apenas rebate por inteiro, como uma peça única.