Notícias

Carros elétricos ficam mais baratos

Europa tem mesmo padrão

O nosso estudo seguiu os padrões de um outro levado a cabo pela Organização Europeia dos Consumidores (BEUC), que analisa o europeu “médio” e tem em conta a média anual europeia dos quilómetros percorridos e os preços dos combustíveis no continente. 

Tanto o relatório europeu como o português mostram que a obrigatoriedade para haver reduções de emissões em veículos convencionais não produz aumentos significativos nos custos de posse e utilização de cada carro. Aliás, pontualmente, podem ser apontadas ligeiras reduções nos mesmos. O motivo? Com a ligação direta entre redução de emissões e redução de consumos, as poupanças de combustível superam o custo adicional de adquirir veículos mais eficientes.

Também se conclui que as novas tecnologias em veículos como os híbridos plug-in (PHEV), os elétricos com bateria (BEV) e os veículos com célula de combustível (hidrogénio) irão tornar-se cada vez mais competitivas em comparação com os veículos convencionais.

No estudo europeu, os dados permitem ainda concluir que, no período 2025-2030, o custo de posse e utilização de um veículo com reduzidas emissões de gases poluentes será muito próximo do de um carro convencional. Resultado: na média dos países europeus, ter um automóvel que “poupa” o ambiente não vai implicar custos acrescidos para o consumidor.