Notícias

Automóveis: queremos modelos mais seguros para todos

09 outubro 2015 Arquivado
Automoveis seguros

Arquivado

As imagens que se seguem impressionam os mais sensíveis. É a primeira reportagem no epicentro dos testes de colisão com um automóvel à venda na Colômbia e no Brasil. Vítima: Renault Duster, como lhe chamam no outro lado do Atlântico, Dacia Duster na Europa.

Travagem e estabilidade

Realizamos os testes em circuito fechado, cidade, estradas nacionais e autoestrada. Avaliamos a capacidade de tração, o desempenho a contornar obstáculos, a precisão e a estabilidade da direção. A eficácia da direção é medida por vários testes que avaliam o controlo e a aderência do carro. Por exemplo, executamos uma dupla manobra de mudança brusca de direção à velocidade de 90 km/h.

Teste a 300 critérios: adoramos sair para a pista

Experimentámos o desvio do obstáculo com diferentes velocidades. Começámos a 60 km/h e aumentámos a fasquia para 70 e 80 km/h. Mais 10 km/h no cenário mudam todas as variáveis. As leis da física não perdoam qualquer erro. A diferença é enorme e o grau de dificuldade para aumenta. Para condutores menos treinados, dominar uma mudança brusca de direção sem a ajuda do sistema é uma missão impossível.

Para garantir uma avaliação independente, colocamos 20 cones no mesmo sítio em zonas estratégicas. Nenhum pode ser derrubado. Qualquer toque ou atropelamento é penalizado. A avaliação considera a intervenção do controlo eletrónico de estabilidade, a subviragem ou a sobreviragem (derrapagem à frente ou atrás, respetivamente), a firmeza da direção e o risco de capotamento.

Para testar a estabilidade, conduzimos em estradas com sulcos profundos, grandes superfícies de piso irregular e pavimento muito escorregadio. A sensibilidade lateral ao vento é analisada. É crucial saber se o automóvel é fácil de controlar pelos condutores menos experientes. Levamos a direção aos limites para conhecer todas as características e habilidades a curvar.

O teste de travagem pode denunciar problemas graves, como uma distância demasiado longa ou o despiste com capotamento. Para garantir um resultado realista, antes de cada teste, montamos o carro com meia carga (o que simula o transporte de 2 adultos) e confirmamos se a pressão dos pneus está correta.

Realizamos uma travagem de emergência dos 100 km/h aos 0 km/h para medir a distância através de um GPS de elevada precisão. Este kit é idêntico ao que as equipas de corrida utilizam. Repetimos a prova nove vezes sem qualquer descanso para o carro. Interessa-nos testar a eficácia e a fiabilidade e a resistência dos travões. Qualquer automóvel que comece a acusar sinais de desgaste ou fraqueza é chumbado.