Dicas

Renting automóvel: pouco comum entre particulares

30 outubro 2013

30 outubro 2013

Esta modalidade permite ter carro sem se preocupar com a manutenção, mas ainda é pouco comum entre particulares.

Quem não tem dinheiro para comprar um carro pode optar pelo crédito, leasing, aluguer de longa duração (ALD) ou renting. A escolha depende de querer ou não ser o proprietário desde o início. No crédito, o comprador é o dono; nas restantes modalidades, não é, mas pode sê-lo se, no final do contrato, pagar um certo montante equivalente ao valor residual ou ao valor comercial do automóvel no momento.

O renting ou aluguer operacional de veículos não é novo, mas tem pouca expressão entre particulares. As locadoras não dão informações sobre este produto, muito menos a taxa de juro nominal, o que dificulta a comparação de propostas.

Manutenção incluída

  • O renting permite alugar um automóvel por um período limitado e mediante uma quilometragem combinada no início do contrato. Se rolar mais do que o estipulado, paga um adicional por quilómetro. Circulando menos, pode receber o reembolso do excesso.
  • Destina-se a quem não pretende ser proprietário do carro. Quem desejar sê-lo deve optar pelo leasing ou pelo crédito.
  • À partida, não há limite para o preço do carro. A locadora tem capacidade negocial para comprá-lo a um menor custo. Depois, entrega-o mediante uma renda.
  • A empresa define serviços de base. O principal é a manutenção. Como extras, pode optar pela gestão de seguros e do imposto único de circulação, substituição de pneus, viatura de substituição e cartão de combustível.
  • Durante o contrato, paga uma renda pelo automóvel e serviços. No final, entrega o carro e, eventualmente, assina contrato sobre um novo veículo. Mas também pode comprá-lo pelo valor comercial ou por outro acordado com a locadora.

Comparar propostas

  • Para analisar se o renting é mais interessante do que o financiamento, a primeira coisa a saber é se quer ficar com o carro no fim do contrato. Se não quiser, só paga a comissão de abertura e as rendas mensais. A manutenção fica a cargo da locadora.
  • No financiamento, tem de somar vários custos (rendas ou prestações, comissões, valor residual e manutenção) e subtrair o valor da venda do automóvel. O carro pertence-lhe, mas, como não pretende ficar com ele, terá de vendê-lo.

Imprimir Enviar por e-mail