Dicas

Descodificar e tratar os ruídos parasitas do automóvel

Manutenção como prevenção

Estes problemas podem ser prevenidos (ou atenuados) em grande parte com manutenções periódicas e a prática de uma condução defensiva.

O condutor deve evitar acelerações bruscas e travagens acentuadas, que provocam o desgaste prematuro dos travões e pneus, facilitando o aparecimento de folgas em vários componentes, dado o alto nível de vibrações a que estão sujeitos. Igualmente importante é cumprir os intervalos de revisão de cada viatura indicados pelos fabricantes.

Cada automóvel possui um plano de manutenção periódica – a chamada “revisão”. É comum ser feita uma vez por ano ou entre cada 15 mil a 30 mil quilómetros percorridos. Esta manutenção serve para verificar e substituir os componentes mais gastos pelo uso (os filtros e os óleos) e eliminar folgas que possam provocar desgaste prematuro ou avaria.

Mas a viatura pode chegar ao mecânico para a revisão sem apresentar grandes problemas. Uma inspeção visual regular e um ouvido atento ajudam a evitar males maiores e não exigem nenhum conhecimento particular. Basta ter atenção e um bom conhecimento do veículo para detetar alterações no ruído, vibrações anormais no volante, pedais e carroçaria, alterações no estado dos pneus e iluminação geral do veículo e modificações nos níveis dos fluidos. Assim, antecipa problemas que possam causar despesas maiores, já que permite corrigi-los na fase inicial.

Levar o carro ao mecânico para que faça uma avaliação mais profunda da durabilidade dos componentes é uma boa forma de antecipar problemas e falhas graves. É o caso das avaliações dos travões, do nível do óleo ou do estado dos pneus antes de uma viagem mais longa.

Nem sempre se consegue detetar a avaria a tempo, pelo que há que estar atento ao que o veículo diz. Por vezes, os automóveis registam avarias sem dar aviso prévio. O acender de uma luz ou mensagem anormais no painel de instrumentos, por exemplo, sinaliza falhas num ou mais componentes. Nessas alturas há que levar o carro ao mecânico para resolver o problema.  

Planear a manutenção sem surpresas

Para evitar zeros inesperados na fatura da oficina pode seguir um conjunto de passos simples.

  1. Peça um orçamento por escrito antes de qualquer reparação e explique ao pormenor o que lhe parece que está a falhar. Quanto mais rigorosa a sua explicação for, maior será o rigor aplicado na reparação.
  2. Se achar dispendioso, visite outra oficina e peça uma segunda opinião. Confirme se o pedido de orçamento tem algum custo associado. Deixe claro que as reparações e substituições de peças não previstas no orçamento só podem ser feitas com o seu consentimento.
  3. Quando recolher a viatura, verifique se existem problemas visíveis. Nesse caso, exija a sua correção imediata e efetue o pagamento posteriormente.
  4. Confira na fatura as reparações feitas. Se estiver incorreta ou for muito vaga, peça um documento mais detalhado. Este é essencial em caso de reclamação.
  5. Em caso de conflito quanto à reparação ou à aplicação da garantia, pode recorrer ao Centro de Arbitragem do Setor Automóvel (CASA) ou aos julgados de paz.