Dicas

Carro usado: comprar a leasing ou a crédito

30 outubro 2013

30 outubro 2013

Se não faz questão de ter o carro em seu nome desde o início, verifique se é possível optar pelo leasing. Caso contrário, prefira o crédito automóvel.

Estima-se que a maioria dos carros usados perca cerca de 20% do seu valor ao fim de um ano. Para não correr riscos, pesquise o valor justo, peça uma vistoria técnica e informe-se das garantias legais antes de fechar negócio.

Rodagem por vários bancos

Depois de optar pelo stande com a melhor oferta, é provável que lhe proponham um financiamento. Convém negociar até ao cêntimo e não ceder à primeira oferta. Visite o maior número de instituições de crédito, a começar pelo seu banco, e peça simulações para o montante de que necessita.

Os standes são meros intermediários no financiamento e, muitas vezes, ganham uma comissão sobre os créditos contratados pelas instituições com que trabalham. Regra geral, as taxas propostas são mais elevadas do que nos bancos. Além disso, nestes, pode reduzir a taxa com os produtos já contratados: por exemplo, domiciliação de ordenado e pagamentos, cartão de crédito ou conta à ordem.

Contabilize os encargos associados às diversas modalidades de financiamento, como os seguros obrigatórios. No leasing são exigidos seguros de responsabilidade civil facultativa (50 milhões de euros) e de danos próprios. Já no crédito automóvel, basta o de responsabilidade civil obrigatória, no valor de 3 milhões e 250 mil euros e, nalguns casos, o de vida. Se optar por um carro com menos de 5 anos, convém contratar uma apólice "contra todos os riscos". Muitas vezes, as instituições de crédito têm protocolos com as seguradoras e conseguem propor bons prémios, mas convém simular o prémio anual noutras seguradoras ou mediadores.

Pergunte também que garantias são exigidas e se existem despesas de contratação, como comissões de entrada e processamento. Estes elementos são essenciais para comparar o custo real de várias propostas, traduzido pela taxa anual de encargos efetiva global (TAEG).

O leasing e o crédito automóvel não servem para todos os carros. A maioria das instituições impõe um limite, na maioria dos casos, de 10 anos no final do prazo do financiamento. Logo, se quiser comprar um veículo com 6 anos, não poderá pedir um superior a 4 anos.

Preço dos seguros encarece leasing
O leasing é a modalidade mais barata para a generalidade dos consumidores e uma boa opção para quem não faz questão de ter o carro em seu nome desde o início. Mas se contabilizar o custo dos danos próprios e da responsabilidade civil facultativa (50 milhões de euros), esta opção pode deixar de compensar. Além disso, nem todas as instituições de crédito financiam a compra de carro usado através de leasing.

O crédito automóvel é, a par do crédito pessoal, a modalidade certa para quem faz questão de ter a propriedade do veículo desde o início. Em regra, o segundo é mais caro.


Imprimir Enviar por e-mail