Notícias

A nossa seleção de vinhos rosés de 2017

Início

Dos 20 vinhos rosés do nosso teste, há três que se destacam na nova colheita com, pelo menos, 70% de Qualidade Global.

  • Dossiê técnico
  • Sofia Mendonça e Susana Costa Nunes
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
09 julho 2018
  • Dossiê técnico
  • Sofia Mendonça e Susana Costa Nunes
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
rose

iStock

O vinho rosé tem sido uma aposta de muitos produtores nos últimos anos, contrariando o preconceito de pouca qualidade muitas vezes associado a este vinho. França lidera a produção mundial de rosés, com destaque para a região de Provença.

À conquista dos consumidores, os rosés não resultam da mistura de tintos e brancos. São feitos a partir da maceração de uvas tintas com menor tempo de contacto com as películas, num processo de vinificação semelhante ao do vinho branco.

Pela cor, o rosé pode definir-se como um tipo intermédio entre o branco e o tinto. As suas características resultam do equilíbrio entre a suavidade dos brancos e a complexidade dos tintos. Do tinto, tem as castas de origem - como Touriga Nacional ou Aragonez - e uma pequena quantidade de matérias corantes; do branco, a constituição geral (como o frutado ou a frescura) e uma certa analogia nas técnicas de vinificação. A cor do vinho - umas vezes mais carregada - depende das substâncias corantes que se conseguirem extrair da película, por exemplo, pelo tempo de contacto do líquido com a casca da uva tinta. 

Os rosés são vinhos leves, nem sempre adocicados, que se consomem frescos e, por isso, são ideais para esta época do ano. Na hora de aliar vinho a pratos não há regras, embora seja habitual recomendar que os rosés acompanhem pratos leves, como peixe. Mas se há rosés mais próximos do vinho branco, há outros, mais estruturados, que fazem lembrar alguns tintos e que podem, por isso, acompanhar bem qualquer prato de carne. A escolha, às refeições, pode ser feita com base nisso. Ou pode escolher de acordo com as suas preferências.

O rosé tem lugar reservado na mesa de qualquer amante de vinhos. O difícil pode ser escolher, pois existem várias cores e para todos os gostos. Os vinhos rosés devem ser consumidos jovens e servidos frescos (10º C) e as garrafas não devem ser guardadas por muito tempo.

Consegue comprar um bom vinho rosé a partir de 1,79 euros. Veja as 3 sugestões que obtiveram, no mínimo, 70% de Qualidade Global nos nossos testes.