Notícias

Peixe panga: seguro, mas pouco nutritivo

21 dezembro 2015

21 dezembro 2015

O peixe gato riscado gera alguma desconfiança na Internet, mas a segurança não tem sido posta em causa, nos filetes que chegam a Portugal. Contudo, perde em ómega 3 ou proteínas, em comparação a outros peixes.

Os portugueses conhecem-no como peixe panga ou pangasius, mas a denominação comercial autorizada, de acordo com a lei, é peixe gato riscado. É um peixe de água doce criado em aquacultura, no rio Delta do Mekong, na Ásia. Em Portugal, importamos sobretudo do Vietname, ultracongelado em filetes. Custam em média 6 euros ao quilo, menos três do que os habituais de pescada.

Continuam a existir boatos na Internet em relação à segurança deste peixe gato riscado. Contudo, já em 2009, quando testámos este peixe, não encontrámos problemas de maior.

Ao analisar a informação nutricional disponível nos rótulos de alguns produtos, verificámos que o peixe panga possui menores quantidades dos nutrientes que procuramos num peixe.

Tem menos calorias (46 kcal) do que a maioria dos peixes, mesmo em relação aos “magros” – tamboril, maruca, pescada, e bacalhau – e mais água (80-85%). Quanto a proteínas, o peixe gato riscado contém em média 9,8 g de proteína por 100 g de gordura no peixe cru, quase metade de outros tipos de peixe.

O teor da gordura varia entre diferentes filetes, devido às condições de cultivo utilizadas na produção, ou outros fatores como a reprodução, o ambiente e a estação do ano. Em média possui cerca de 0,79 g por 100 g de peixe cru, baixo em relação aos outros peixes. Apesar disso, possui percentagens elevadas de saturados. 

Demonstrou ter níveis baixos de ácidos gordos polinsaturados, como o ómega 3 e o ómega 6, característica dos peixes de água doce. Estes ácidos gordos são fundamentais para a saúde, por isso, é aconselhável intercalar o consumo com peixes de água salgada, geralmente mais ricos nesses nutrientes.

Por ser de aquacultura e de água doce, este peixe contém uma composição nutricional diferente dos peixes de água salgada tradicionalmente consumidos pelos portugueses. Aconselhamos a variar no peixe e a privilegiar o consumo do peixe, em relação à carne.