Alertas

Ovos contaminados: Portugal não importou lotes, mas já está a testar

Bélgica, Holanda, Alemanha, Reino Unido, França, Suécia e Suíça podem ter no mercado lotes de ovos contaminados com um pesticida tóxico. Até agora, nada indica que estes ovos tenham chegado a Portugal, mas a DECO vai continuar atenta ao caso.

08 agosto 2017
Caso dos ovos contaminados: Portugal não importou lotes com problemas

Thinkstock

Depois da Bélgica, Holanda e Alemanha retirarem do mercado lotes de ovos suspeitos de estarem contaminados com um pesticida, seguem-se o Reino Unido, França, Suécia e Suíça. Em causa está a suspeita de que estes ovos contêm fipronil, um pesticida tóxico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que este produto é “moderadamente tóxico” para o homem quando usado em grandes quantidades, tanto que o seu uso é proibido em animais destinados ao consumo humano.

De acordo com informações oficiais que a DECO obteve junto da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, estes ovos não foram exportados para Portugal, logo não estão disponíveis para os consumidores nacionais. No entanto, estão a ser realizados testes oficiais para confirmar a inexistência de ovos contaminados em território nacional. 

Tudo começou quando a 20 de julho as autoridades belgas avisaram a União Europeia de que tinham detetado fipronil numa remessa de ovos. A 3 de agosto, a Holanda lança um alerta junto do Sistema de Alerta Rápido para os Géneros Alimentícios e Alimentos para Animais (RASFF) da UE por ter encontrado fipronil em ovos e em quantidade superior ao permitido, o que poderia representar um perigo para a saúde dos consumidores.

Na sequência deste alerta, e como medida de precaução, várias cadeias de supermercados na Holanda, Alemanha e Bélgica decidiram retirar do mercado os ovos suspeitos. A União Europeia notificou ainda o Reino Unido, França, Suécia e Suíça com o objetivo de prevenir mais problemas, aumentar a partilha de informação sobre o caso e potenciar os processos de verificação e de controlo nestes mercados em concreto.

Na Holanda, cerca de 180 explorações aviárias foram encerradas e milhões de galinhas contaminadas com o pesticida tóxico poderão ter de ser abatidas. Na Bélgica, 86 explorações avícolas são suspeitas de terem indícios da utilização de Fipronil. Em França está encerrada uma exploração preventivamente.