Notícias

Ementas em 30 escolas em análise

19 setembro 2014 Arquivado
ementas_escolares_estudo

19 setembro 2014 Arquivado

A higiene das ementas escolares é boa, mas falta mais equilíbrio e variedade, como incluir com mais frequência ovos e leguminosas.

Início

Globalmente, a higiene das refeições servidas nas cantinas é boa. Quem manipula os alimentos deve reforçar os cuidados na lavagem e preparação das saladas, mais vulneráveis a contaminações. Embora seja de felicitar a inclusão diária de fruta e legumes na ementa, sob a forma de sopas, saladas e legumes, as doses são geralmente inferiores às recomendadas pela Direção-Geral de Educação (DGE). Os acompanhamentos servidos também pecam por defeito, sobretudo no que toca à batata. Os refeitórios deveriam também incluir mais vezes ovos e leguminosas no menu mensal, dado serem saudáveis e baratos. Destacamos pela positiva o respeito pela frequência das sopas, bem como das sobremesas (em geral, fruta) e a inclusão dos vegetais no prato.

As quantidades de carne e peixe recomendadas pela DGE são excessivas, fomentando o consumo de proteínas animais. Aliás, a par das gorduras saturadas e do sal, o maior desequilíbrio verificado nos pratos analisados é na quantidade de proteínas. Mesmo servindo menos quantidade de carne e peixe do que o estipulado, as refeições escolares ultrapassam as necessidades reais de proteínas em mais de o dobro. Urge limitar as doses de carne e peixe nas cantinas. Um aspeto a rever pela Direção-Geral de Educação.

As cantinas privilegiam a carne picada, desfiada ou aos pedaços, o que não estimula a mastigação, a prática do corte e o retirar dos ossos e das espinhas.

Avaliámos as refeições (prato, sopa e sobremesa) servidas nas cantinas das escolas do 2.º ciclo, ou seja, para crianças entre 10 e 12 anos, com o objetivo de verificar se são adequadas do ponto de vista nutricional e microbiológico. Além disso, analisámos as ementas mensais, avaliando os componentes diários, o tipo de produtos fornecidos, as frequências e o modo de confeção. Visitámos 24 escolas públicas e 6 privadas, nos concelhos de Aveiro, Braga, Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal e Viseu.