Notícias

É o fim dos kebabs na Europa?

O Parlamento Europeu aprovou a utilização de fosfatos, um aditivo, nos preparados de carne para kebab. É um passo atrás na defesa do consumidor.

19 dezembro 2017
Parlamento Europeu vota o uso de fosfatos nos Kebabs nos próximos dias

OCU

O kebab, um prato típico da Turquia, causou discórdia entre a Comissão Europeia e a Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar da UE. Em causa estava a vontade da Comissão Europeia em autorizar o uso de fosfatos neste prato. Os fosfatos são aditivos e servem, por exemplo, para preservar o sabor e para reter a água dos alimentos, mantendo-os tenros.

Até agora, o uso de fosfatos em produtos à base de carne estava proibido na União Europeia, embora existissem exceções à lei para alguns preparados tradicionais europeus, como os hambúrgueres ou certos tipos de salsichas. Por exemplo, as Bratwurst. A Comissão Europeia propôs que os kebabs fossem incluídos nestas exceções. 

Porém, a Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar deu um parecer desfavorável à proposta, porque o uso dos aditivos tem impacto na saúde humana. Há estudos recentes que estabelecem uma relação entre o consumo de fosfatos e o aumento do risco de doenças cardiovasculares, embora a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) tenha já esclarecido que esse risco não pode ser só atribuído aos fosfatos.

Entretanto, o Parlamento Europeu votou a favor de incluir os preparados para kebabs nas exceções. Trata-se de um retrocesso na defesa dos consumidores, pois este aditivo é totalmente desnecessário. Esperávamos que a decisão fosse outra, porque já há demasiados aditivos autorizados em alimentos onde a sua adição é desnecessária. Contávamos ainda que se aproveitasse a oportunidade para estabelecer regras claras quanto ao uso dos fosfatos e para legislar inspeções periódicas para verificar o uso fraudulento de fosfatos.    

O nosso objetivo era garantir que o consumidor pudesse comer um produto tradicional, elaborado com carne e segundo os procedimentos adequados e não com preparados de qualidade duvidosa, cheios de aditivos e que em nada beneficiam a saúde.